potências de 10

Julho 7, 2013 § Deixe um comentário

Anteontem conheci a Casa da Imagem, integrante do Museu da Cidade aqui de Sampa, e fui agradavelmente surpreendida pela exposição Potências de 10. Trata-se de um trabalho do artista Marcelo Moscheta a partir do documentário Powers of Ten (1977) de Ray e Charles Eames.

O documentário é um passeio por diferentes magnitudes: a cada 10 segundos de filme aumentamos ou reduzimos 10 vezes a escala de observação de forma a ir das fronteiras de nossa galáxia até o próton de um átomo de carbono de uma molécula de DNA de um glóbulo branco humano. Veja você mesmo:

O artista se inspirou neste documentário para produzir um ensaio sobre a relatividade das escalas do universo em frações de 10. As imagens, montadas como pranchas de ilustração científica, estão dispostas num impresso em formato tabloide que é fornecido aos visitantes. Um belo material para trabalho com escalas e ótimo ponto de partida para trabalho multidisciplinar envolvendo matemática, geografia, biologia, física e fotografia!

Marcelo_Moscheta_-_Potencia_de_10 ***

Aproveitando o tema, há uma ferramenta fantástica para visualização de diferentes objetos em diferentes escalas elaborado pela Universidade de Utah: Cell size and scale. O prof. Carlos Hotta, do IQ-USP, escreveu sobre a ferramenta e traduziu para o português cada objeto nela utilizado.

Outros links com ótimas ferramentas para visualização de objetos em diferentes escalas:

terremotos, luz, massa… ação!

Julho 19, 2012 § 1 Comentário

A Univesp TV fez uma série de programas sobre os conteúdos do curso de Licenciatura em Ciências da USP. O resultado foi uma sequência super didática que explica o que são terremotos e como são monitorados; quais são as propriedades da luz, suas implicações em nosso dia a dia e suas aplicações em pesquisa; como se estuda a atuação da força de gravidade e muito mais.

São vídeos bacanas para que os alunos conheçam o perfil e o cotidiano dos profissionais envolvidos nestes estudos e tenham, portanto, maiores informações para sua própria escolha profissional. Também são vídeos didáticos sobre o objeto de estudo desses campos – sismologia, paleomagnetismo, gravimetria etc -, esclarecendo conceitos importantes de uma forma bem acessível a todos. Agradeço o Prof. Eder Molina pela ótima dica!

Outros vídeos da série:

a matéria prima para formação do Universo em poucos cliques

Julho 4, 2012 § 1 Comentário

Só se fala disso hoje no mundo científico: cientistas do Cern anunciaram terem descoberto uma nova partícula subatômica que pode ser o tão procurado bóson de Higgs, proposta em 1964 pelo físico inglês Peter Higgs.

Mais conhecida no meio não científico como a “partícula de Deus”, graças a uma analogia com a Torre de Babel feita uma vez à modificação do título pensado inicialmente pelo físico Leon Lederman para seu livro, é considerada crucial para a formação do Universo por ter fornecido massa para todas as outras partículas elementares, de acordo com o Modelo Padrão. O que isso quer dizer exatamente? Descubra em três breves e claríssimos vídeos:

  1. O que é o bóson de Higgs? – explicação bem didática de um físico teórico, usando neve e esquiadores para elaborar analogias a respeito da formação do Universo – disponível na página do Cern em diversos formatos;
  2. A história do bóson de Higgs contada pelo próprio Peter Higgs – trecho do programa “A fabricação do Cosmos”, organizado pelo físico e divulgador científico Brian Greene e veiculado na PBS, em que Peter Higgs conta como foi apresentar sua ideia a respeito da partícula em 1964 – divulgado na Scientific American;
  3. Como explicar o bóson de Higgs para uma criança de 7 anos? – explicação mais que didática de um divulgador científico, usando açúcar, bandejas e bolinhas de pingue-pongue para elaborar analogias a respeito da formação do Universo – elaborado pela equipe do The Guardian.

Para saber um pouco mais do básico a respeito da física de partículas:

Atualização em 05/07/2012: Esse post do físico e divulgador científico Roberto Belisário também está bem esclarecedor, num esquema FAQ sobre o bóson de Higgs.

ciência nas mídias

Abril 4, 2012 § 1 Comentário

Uma passada rápida para divulgar um bom trio de ciência na mídia!

Dois são provenientes do último Boletim Ciência e Sociedade, do Museu da Vida:

Riff científico – Se você acha que a ciência não tem relação alguma com a rebeldia do rock’n’roll, talvez seja hora de ligar o rádio e repensar. O programa Rock com Ciência, transmitido todos os sábados às 17h pela Rádio Máximus FM de Rio Paranaíba (101,5 MHz), embala bate-papos sobre temas de ciência com uma seleção musical roqueira relacionada ao assunto debatido. Já foram discutidos tópicos como etnoentomologia, biodiversidade, evolução e energia nuclear, entre outros. O setlist já contou com clássicos do rock nacional, como “Mosca na sopa”, de Raul Seixas, e “Bichos escrotos”, dos Titãs; e internacional, como  “Do The Evolution”, do Pearl Jam. A iniciativa surgiu de um projeto de extensão universitária do Instituto de Ciências Biológicas e da Saúde do campus de Rio Paranaíba/Universidade Federal de Viçosa. Os arquivos dos programas, assim como textos de apoio, estão disponíveis no site: <www.rockcomciencia.com.br>.
A arte do futebol e da física – Recém-lançado, o livro Física do futebol, escrito pelos doutores em física Emico Okuno e Marcos Duarte, visa trazer a física para o cotidiano, estimulando a descoberta científica – característica que agradou ao também físico e divulgador da ciência Marcelo Gleiser, que assina um dos textos de apresentação. “Eu sempre costumo dizer que, para se ensinar física ou ciências em geral, o ideal é começar fora da sala de aula, mostrando aos alunos que física trata do mundo em que vivem”, comenta ele.  Ao longo dos quatro capítulos – Movimento, Força, Energia e Fluidos – as biografias de grandes cientistas e jogadores estimulam a leitura: pode-se encontrar Galileo Galilei ao lado de Charles Miller; Pelé “dividindo a bola” com Isaac Newton; e o Galinho do Quintino, Zico, “trocando passes” com James Prescott Joule. Editado pela Oficina de Textos, o livro tem 144 páginas e custa R$ 55. Mais informações no site da editora: <www.ofitexto.com.br/produto/fisica-do-futebol.html>.

O terceiro se refere a um evento que acontecerá em 16 de abril na Fapesp:

A FAPESP convida para o seminário “Ciência na Mídia“, que promoverá uma reflexão, por meio de um diálogo entre pesquisadores e jornalistas, sobre as formas pelas quais os diversos veículos de comunicação têm divulgado a atividade científica.
FAPESP – Auditório – Rua Pio XI, 1500 – Alto da Lapa, São Paulo – SP
16 de abril de 2012, das 9 às 18h
CONFIRMAÇÃO DE PRESENÇA (vagas limitadas): www.fapesp.br/eventos/ciencianamidia/inscricao

entreato

Janeiro 31, 2011 § 1 Comentário

Como disse, o momento está meio atribulado e não estou conseguindo dar a devida atenção ao blog. Mas trago boas leituras que se encaixam perfeitamente nesse entreato: dois textos de José Roberto Castilho Piqueira que recebi para compartilhar aqui no blog!

Da primeira vez que ele apareceu por aqui, eu apresentava um artigo seu, Relatividade não muito relativa, que defende que o “uso abusivo de terminologia científica confunde, em vez de esclarecer conceitos do cotidiano”. Agora tenho o prazer de compartilhar outras duas belas reflexões de Piqueira:

  • No texto Gödel, Einstein, Heisenberg e os engenheiros, em que conta como começou sua paixão pela matemática, ele discorre sobre a importância da educação básica e sobre  as “limitações físicas e computacionais importantes para os engenheiros estabelecidas por Gödel, Einstein e Heisenberg, aprimorando sua capacidade de conviver com incertezas em um mundo que parece exato”.

Boa leitura!

 

Where Am I?

You are currently browsing entries tagged with física at ciência na mídia.

%d bloggers like this: