por dentro do núcleo

Novembro 21, 2009 § 2 comentários

Sigo na labuta escrevendo materiais didáticos sobre citologia (mais aqui). O tema do dia é o núcleo celular e a seleção dos mais tchans é composta por três vídeos.

O primeiro é uma animação bastante didática que ilustra a morfologia do núcleo celular e identifica suas principais estruturas. O segundo é uma continuação deste e mostra o processo de empacotamento do DNA e a relação de contém/está contido que há entre DNA, cromossomo e gene.

O terceiro apresenta passo a passo as etapas laboratoriais para montagem de um cariótipo. Achei este vídeo especialmente interessante porque normalmente os alunos veem apenas fotos de cariótipos já montados ou realizam atividades de recortes de fotomicrografias de núcleos celulares para montar um cariótipo e acabam não tendo noção de todos os procedimentos (uma trabalheira!) para extrair e fixar este material.

Depois de assistir ao vídeo dá para entender perfeitamente porque um exame de cariótipo não fica pronto assim, digamos, no dia seguinte… Aviso aos navegantes: los videos están en español. Pero sí, se entiende bien y valen la pena!

animando a citologia

Novembro 17, 2009 § Deixe um comentário

Essa semana está bem pesada de trabalho e não tenho conseguido atualizar o blog. Seria mais um dia sem nem uma pingadinha por aqui quando enfim pensei o óbvio: se passei o dia todo escrevendo materiais didáticos de ciências e, por conseguinte, assistindo diversos vídeos e animações, identificando bons textos de divulgação científica que possa recomendar como leitura complementar para o professor e o aluno etc, por que não compartilhá-los no blog?

O tema do dia foi citologia. Deixo vocês com os “top 4” [agora “top 6” – veja atualização do post após vídeo] dos materiais que pesquisei:

  • Animações em Biologia Celular: ferramenta online elaborada por John Kirk que contém diversas animações interativas. A que se refere à membrana celular, por exemplo, mostra sua estrutura e simula sua permeabilidade seletiva mostrando os diversos tipos de transporte de substâncias;
  • Cell size and scale: ferramenta on-line que permite a visualização em escala de diversas estruturas celulares. A escala começa com a ilustração de um grão de café de 1.2 cm e vai até a ilustração de um átomo de carbono, passando por células procarióticas e eucarióticas, organelas de células eucarióticas, vírus, moléculas e átomos;
  • Membrane awakening: texto de divulgação científica do boletim do Howard Hughes Medical Institute que percorre um pouco do histórico dos modelos sobre estrutura e funcionalidade da membrana celular apresentando suas limitações e novos caminhos de investigação;
  • The Plasma Membrane: vídeo elaborado pelo Science Education Group que mostra a membrana plasmática de forma animada e permite o entendimento do modelo do mosaico fluido. Segue abaixo a versão do vídeo com as legendas em português (o título foi inserido pelo autor das legendas):

Atualização em 18/11/09: Ontem já estava com sono e acabei deixando de fora da listinha um outro material bastante interessante também. Trata-se do Inside a Cell, uma ferramenta online que permite a navegação pelo interior da célula e, quando uma organela citoplasmática é detectada, é possível ampliá-la e obter mais informações sobre sua estrutura e função. Também é possível tornar a membrana celular transparente e observar seu conteúdo, bem como observar todas essas estruturas em células animais e vegetais. Vale o clique!

E o Carlos, um dos co-autores do livro didático para o ensino médio do qual também participo (novidades em breve!), me mandou a dica de uma animação que ilustra e explica o funcionamento da bomba de sódio-potássio: How the sodium-potassium pump works. No site há diversas outras animações e materiais sobre fisiologia humana e biologia celular. Também vale o clique!

por dentro da célula

Dezembro 3, 2008 § 1 Comentário

celula

Semana passada estava em exposição no Instituto de Biociências da USP um modelo gigante de célula que agora poderá ser visitado na Estação Ciência em São Paulo. A iniciativa é da Dra. Eliana Beluzzo Dessen, coordenadora de Educação-Difusão do Centro de Estudos do Genoma Humano, um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (Cepids) da FAPESP. Eliana foi também co-curadora da Exposição Revolução Genômica, que vem passando por diversas cidades brasileiras desde o início de 2008.

O modelo é bastante interessante e permite que o público literalmente fique por dentro da célula e conheça um pouco mais sobre as organelas que a compõem. Parece ser um instrumento bastante eficaz para resolver um dos problemas mais frequentes do ensino de ciências, já que é muito comum que os estudantes confundam o conceito de célula com o de átomos e moléculas ou que apresentem dificuldade em entender as diversas estruturas que compõem a célula, suas funções e dimensões relativas. Ou, talvez pior, não é raro que estudantes que aparentemente compreenderam a célula e seu funcionamento, não percebam que outros seres vivos, ademais dos humanos, são compostos por células, ainda que por uma só.

Lembrei agora de uma pesquisa de percepção pública da ciência sobre organismos geneticamente modificados realizada na Itália há uns 2 anos em que os pesquisadores procuravam entender as razões da rejeição do público ao tomate transgênico. A pesquisa indicou que os italianos não queriam comprar o tomate transgênico porque este continha DNA e as pessoas estavam receosas de que comer DNA pudesse fazer algum mal. Discussões sobre benefícios ou malefícios dos transgênicos à parte, isso mostra a ignorância das pessoas com relação aos princípios mais básicos da biologia molecular. E a raiz do problema está no ensino e na divulgação da ciência, não?

Mas a boa notícia para aqueles motivados a envolverem-se nessas áreas é que o brasileiro se interessa por ciência e tecnologia tanto quanto pelo esporte e as coloca em posição nitidamente superior à política, que costuma ocupar inúmeras páginas nos jornais e revistas e tempo precioso nas emissoras de rádio e televisão. Esse dado foi um dos resultados da pesquisa do Ministério da Ciência e Tecnologia publicada em 2007 e já mencionada em post anterior. A pesquisa intitulada Percepção Pública da Ciência e Tecnologia mostrou ainda que o brasileiro não subestima a sua capacidade de entender a ciência e a tecnologia e reconhece (esta é a opinião de 81% dos entrevistados) que é capaz de compreendê-las se “o conhecimento científico for bem explicado”. Clique aqui para ter acesso à integra da pesquisa no site do MCT.

Esses resultados todos, se bem analisados e acompanhados de vontade dos órgãos competentes, podem (e devem!) embasar algumas políticas públicas relacionadas à divulgação científica e ao ensino de ciências. Passou da hora já de termos cidadãos capazes de fazer uma reflexão relativa ao papel da ciência, sua função na sociedade, as tomadas de decisão correlatas, prioridades dos fomentos etc etc etc, e não apenas estudantes preparados a marcar X numa prova de vestibular (e, ainda por cima, mal preparados mesmo para isso…).

Where Am I?

You are currently browsing entries tagged with célula at ciência na mídia.

%d bloggers like this: