ciência na blogosfera: quem, como, porque

Fevereiro 6, 2010 § 2 comentários

Essa última semana foi mais atribulada que o usual e a próxima promete superá-la. Assim, vou interromper temporariamente a série matemática que vinha apresentado aqui no blog, mas já-já volto à ativa também virtualmente. Nesse entretempo, vou deixá-los com o vídeo da íntegra do debate sobre blogs de ciência que rolou há uma semana na Campus Party e do qual participei junto com pessoas queridas do Science Blogs Brasil.

Diretamente relacionado ao tema e, claro, para quem ainda não teve chance de ler, sugiro também uma passada de olhos pelo post que escrevi pensado nas questões desse painel: a blogosfera científica em debate. Também fiz uma compilação dos tuítes que postamos ao longo do debate (vocês verão no vídeo três dos debatedores alternando esquizofrenicamente entre as intervenções ao vivo e as intervenções virtuais) e logo compartilho aqui (atualização em 08/02: link incluído).

[aviso aos navegantes: o debate propriamente dito inicia-se por volta dos 7 minutos do vídeo, já que a gravação incluiu também um pouco do nosso ti-ti-ti inicial antes de ser dada a largada].

Vodpod videos no longer available.

Atualização em 08/02/2010: Bastante relacionado ao tema deste debate e portador de um reflexão muito bem colocada é o post Divulgação científica: uma atividade sem conceito? Recomendo a leitura!

Atualização em 05/03/2010: Agora temos o vídeo também no You Tube, para quem preferir (e esse já começa no ponto do início do debate):

a blogosfera científica em debate

Janeiro 30, 2010 § 9 comentários

Como disse, a Campus Party sediará um debate sobre blogs de ciência hoje às 10h30. Haverá transmissão ao vivo pela web (basta acessar o canal “blog”). Participaremos Isis Nóbile Diniz (jornalista e autora do blog Xis Xis), Reinaldo José Lopes (jornalista, autor do blog Chapéu, Chicote e Carbono-14 e coautor do blog Laboratório), Atila Iamarino (biólogo e autor do blog Rainha Vermelha) e eu, devidamente orquestrados por Carlos Hotta (biólogo e autor do blog Brontossauros em meu Jardim).

Sobre o que falaremos? O debate será guiado  pelas perguntas dos campuseiros nessa jornada de abordar “a consolidação do uso da blogosfera na divulgação científica”. Assim, se você pretende participar presencialmente do debate, realize seu desejo de perguntar tudo aquilo que sempre quis saber de um blogueiro de ciências. Também, é claro, são muito bem vindas perguntas depositadas na caixa de comentários de nossos blogs, espaço eterno de discussão.

Além das perguntas que moverão o debate, há algumas questões interessantes circulando pela própria blogosfera e que provavelmente abordaremos por lá. Resolvi fazer um pequeno resumo destas, até para atiçar os debatedores e os perguntadores.

O que é um blog e por que blogar?

Para a primeira parte da questão, recomendo um passeio pelos slides de Sílvio Mendes, da Associação Viver a Ciência. Para a segunda, resumo o que já disse em entrevista à Ciência Hoje, durante o II Encontro de Weblogs Científicos em Língua Portuguesa (EWCLiPo):

  • é uma ferramenta de muito fácil uso e há modelos prontos e gratuitos;
  • permite o estabelecimento de uma comunicação efetiva, rápida e com possibilidade de monitoramento “da audiência”;
  • possibilita a conexão do blogueiro a uma ampla rede de relacionamentos;
  • a linguagem dessa mídia aproxima leitor e blogueiro tanto pela sua informalidade, quanto pelo fato de o leitor ser também um ator dentro do blog via o espaço de comentários/debates (é claro que sempre tem gente que não sabe brincar e, por exemplo, comete a bobagem de fazer blog fechado para comentários…);
  • vídeos, fotos, enquetes, podcasts e muitos outros recursos podem ser usados na comunicação via blog além das palavras com ou sem links.

Eu blogo por três razões básicas: para comunicar o que sei e gosto, para me divertir e para fazer parte de uma comunidade com interesses afins.

Há diferença entre os blogs de ciência e blogs de outros temas?

Sim e não. Não porque um blog de ciência é, antes de tudo, um blog. Então está fundamentado na mesma linguagem, nos mesmos recursos de expressão. Sim porque “blog de ciência” é um termo amplo que abarca blogs científicos, blogs de jornalismo científico, blogs de ensino de ciências, blogs que falam sobre a ciência de todas essas formas (como este aqui) e até mesmo – infelizmente – blogs pseudocientíficos e “cienciacionalistas”. Assim, o perfil tanto de blogueiros quanto de leitores é muito amplo nesse canto da blogosfera. Isso é um pouco bom e um pouco ruim, mas aí já estou invadindo o espaço de outra pergunta.

Quais as vantagens e desvantagens da divulgação científica via blogs?

As vantagens são muitas, relacionadas justamente às características da mídia blog expressas acima. Como desvantagens só vejo duas. Uma reside no fato de que em países como o Brasil ainda é pequena a porcentagem de pessoas com acesso à internet. Mas isso não chega a ser uma desvantagem real, tanto porque a tendência é essa porcentagem crescer rápido, quanto porque os blogs não são e nunca deverão ser uma forma exclusiva de divulgação da ciência, por mais vantagens que apresentem.

Blogs de ciência são mais uma forma possível para falar de ciência. Uma boa forma possível de se falar sobre ciência, é fato. Mas apenas isso. Blogs de ciência não substituirão (e nem pretendem substituir) exposições em museus, documentários, jogos, aulas, artigos etc.

A outra desvantagem vem justamente da facilidade de uso da ferramenta. É mais ou menos assim: qualquer um pode escrever um blog, mas nem todos escrevem bem. Mais que isso, nem todos escrevem bem sobre ciência. E eu ainda acrescentaria um outro mais que isso: nem todos blogam bem sobre ciência (porque escrever sobre ciências em uma revista é uma coisa, em um blog é outra. Como abordei apressadamente acima, é uma outra mídia, que tem uma outra linguagem, uma outra dinâmica).

O resultado disso é que há – vamos falar claramente – um monte de lixo espalhado pela web. E aí, como separar o joio do trigo? (Fora usar o bom senso e o conhecimento prévio, claro) Falarei um pouco sobre isso logo abaixo, na reflexão sobre o futuro da blogosfera.

Podemos falar em blogosfera científica ou os blogs de ciência ainda são tocados por meia dúzia de gatos pingados?

A blogosfera científica já é grandinha e vem crescendo rapidamente. O ABC (Anel de Blogs Científicos em língua portuguesa) já conta com cerca de 250 blogs cadastrados, a maior parte deles do Brasil. Foi organizada até uma premiação em 2009.

O reflexo desse crescimento é que a blogosfera científica passou a ser notícia (como aqui) e até a Nature dedicou uma edição ao tema. A expansão da blogosfera científica também passou a ser assunto de trabalhos acadêmicos que visam compreender e caracterizar a dinâmica dessa comunidade. Um exemplo foi a apresentação de trabalho sobre a blogosfera científica brasileira no X Congresso Brasileiro de Jornalismo Científico [Referência: Dias, H. Blogs e tendências do jornalismo científico. In: Victor, C. e col. (Orgs). Jornalismo científico e desenvolvimento sustentável. São Paulo: All Print Editora, 2009, p. 179-205].

Outro sintoma dessa expansão está na própria Campus Party: no ano passado o debate sobre os blogs de ciência ficou restrito ao stand da Sesc TV  e TV Cultura presente no evento. Esse ano o debate subiu para o pódio do Campus Blog.

Qual o futuro da blogosfera científica?

Acho que é o da agregação e da validação.

Agregação porque vem sendo uma tendência natural da web. Com tanta informação circulando, está cada vez mais difícil de encontrá-la. Assim, ferramentas que agrupem por temas, por relevância ou por qualquer critério que seja, vêm ganhando cada vez mais espaço. Embora a web semântica já esteja se tornando uma realidade, o que deve facilitar muito a busca e caracterização de informações, acredito que o movimento de agregação só tende a crescer. No caso dos blogs de ciência, um exemplo é o portal Science Blogs Brasil (conheça um pouco dessa história aqui).

Validação porque não só está difícil encontrar informação na web, como é mais difícil ainda encontrar informação “que preste”. No caso dos blogs de ciência, há o grande problema da pseudociência infiltrada. Como validar? Essa é uma questão ainda em desenvolvimento. A própria agregação pode ser uma forma de validação. Outra é somar à agregação estratégias importadas de outras mídias, como a revisão por pares (um exemplo é o Research Blogging). Outra ainda é formar uma comunidade gestora que inclui a validação nas suas atribuições, como ocorre nas Wikis, sendo a Wikipedia o exemplo mais conhecido mundialmente.

E outra ainda é continuar somando agregação e validação, como já é uma realidade. Exemplos disso são eventos como o EWCLiPo e o Science Online, premiações, edições de antologias de melhores postagens de diversos blogs de ciências (como o The Open Laboratory) etc.

E como tudo na blogosfera são conexões…

… deixo o post por aqui, mas o debate prossegue. Na Campus Party, nos comentários que eu espero mediar abaixo e também nesses links que indico a seguir.

[e lembrando que os posts continuam nos comentários, a listinha abaixo foi pensada também pelos debates que carregam – experimente!]

“por de Deus, tenham um blog!”

Janeiro 24, 2010 § 4 comentários

(fonte da imagem no link)

Foi o que disse o Papa Bento XVI aos padres católicos neste sábado.

O papa é mais do que pop, minha gente. O papa é social media pro. E o Padre Marcelo se achando muito prafrentex com esse negócio de “joga as mãozinhas pra cima“…

A ordem é “aproveitar ao máximo o rico menu de opções oferecido pelas novas tecnologias”. E quem tá dizendo isso é sua santidade.

Não consigo imaginar melhor abertura que essa do papa pra Campus Party Brasil!

camping tecnológico

Janeiro 23, 2010 § 1 Comentário

Quando você pensa em acampamento, o que vem à mente é mata, cachoeira, borrachudo, trilha, lama, improviso e diversão? Bem, disso tudo fique apenas com acampamento e diversão. Agora some uma das conexões de internet mais rápidas já instaladas e gente de tudo quanto é parte ligadíssima em tecnologia e comunicação. Visualizou?

Se precisar de uma ajudinha para montar o cenário desse acampamento tecnológico é só assistir ao institucional da Campus Party do ano passado (no fim do post). Deu água na boca? Pois prepare-se: a Campus Party Brasil 2010, a terceira versão de um dos maiores eventos sobre tecnologia do mundo, começa segunda feira! E este ano ainda contará com um painel dedicado aos blogs de ciências, com mediação de Carlos Hotta e participação de Isis Nóbile Diniz, Reinaldo José Lopes, Atila Iamarino e… eu!

Esse debate ocorrerá no sábado, dia 30/01, às 10h30. A participação é restrita aos campuseiros inscritos, mas provavelmente haverá transmissão na web via tv.campus-party.org e no canal oficial da Campus Party no YouTube.

Para dar água na boca, a chamada dos organizadores para o evento:

São Paulo vai balançar os bytes da rede mundial de computadores pela terceira vez!

Arrume a mala, turbine o computador e prepara-se para entrar de cabeça em um mundo lotado de tecnologia, criatividade, cultura e entretenimento digital em rede! Entre os dias 25 e 31 de janeiro de 2010, não deixe de conhecer este que, há três anos, é o grande ponto de encontro físico das principais cabeças da internet tupiniquim!

Este ano, serão quatro Zonas de Conhecimento: Ciência, Entretenimento Digital, Criatividade e Inovação. Acesse cada uma das áreas e confira as atividades disponíveis. São 500 horas de oficinas, palestras e workshops abertos a todos os campuseiros que garantirem o seu passaporte rumo à maior festa da comunidade digital brasileira!

E aí? Vai ficar de fora?

Pois é, vai ficar de fora? Dá só uma olhada no esquema do evento:

Confira a programação completa no site e no blog da Campus Party.

bem vindo a 2010!

Janeiro 6, 2010 § 10 comentários

Enfim de volta ao blog. E depois de uma retrospectiva 2009 é natural que venha uma agenda 2010. Então vamos a ela!

Além de ano em que o Brasil poderá conquistar um hexa na Copa do Mundo, 2010 será também o Ano Internacional da Biodiversidade.  Com o mote “Biodiversidade é vida. Biodiversidade é a sua vida.”, a ONU pretende chamar a atenção para o papel vital que a biodiversidade desempenha na saúde humana e do planeta. A abertura oficial acontece no próximo dia 11 na Alemanha. Confira os eventos programados para diversas partes do mundo aqui.

Atualização em 07/01/10: Amanhã, em Curitiba-PR, será realizado um dos eventos que abrirá oficialmente o programa. Veja aqui.

Semana que vem ocorrerá o Science Online 2010, evento que certamente será fantástico e que seria minha primeira parada no giro pelo mundo  se houvesse abocanhado a mega-sena de fim de ano… Esse post do organizador do evento apresenta os principais painéis e uma compilação de posts sobre o debate ciência e mídia escritos pelos que palestrarão no evento.

Aqui “em casa”, na última semana do mês, teremos a Campus Party Brasil. Além da usual e diversificadíssima programação, esse ano o encontro terá um painel dedicado aos blogs de ciência, com mediação de Carlos Hotta e participação de Marcelo Leite, Reinaldo José Lopes, Lúcia Malla, Atila Iamarino e Isis Nóbile Diniz. Confira a programação completa no site e as dicas sobre acampamento, alimentação e cia no blog do evento.

Um pouco mais adiante ocorrerá a 4ª Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação, agendada para 26 a 28/05 em Brasília.  Entre março e abril haverá conferências regionais precedendo a 4ª. CNCTI em Vitória-ES, Porto Alegre-RS, Cuiabá-MT, Belém-PA e Maceió-NE. Veja mais informações e programação no site ou no twitter do evento, o qual terá o desenvolvimento sustentável como eixo condutor.

Where Am I?

You are currently browsing entries tagged with Campus Party Brasil at ciência na mídia.

%d bloggers like this: