os seres mais antigos do mundo

Setembro 18, 2010 § 6 comentários

Nesta última quinta feira ganhei de um aluno uma dessas perguntas que engasgam o professor ao mesmo tempo que o enchem de orgulho: por que as plantas podem viver milênios e os animais não?

E qual não foi minha surpresa ao encontrar essa ótima TED Talk num sábado de navegação pela web: The world’s oldest living things. A palestra é proferida por Rachel Sussman, que ao longo dos últimos 5 anos tem viajado ao redor do mundo com o intuito de registrar a resilência da vida identificando e fotografando seres vivos com mais de 2 mil anos de idade.

Achei a proposta fantástica! O trabalho, que como ela mesma classifica “é metade arte e metade ciência”, tem o dom de nos fazer refletir sobre o tempo, esse nosso eterno inimigo (será?).

E Ariel estava coberto de razão: dentre os matusaléns espalhados pelo mundo há muitas plantas, um fungo, uma super bactéria congelada em permafrost e apenas um animal (um coral de 2 mil anos de idade, um dos mais jovens da turma, localizado na costa de Tobago).

A beleza inusitada do trabalho de Sussman vem acompanhada de um alerta triste: muitos desses seres milenares agora estão sob ameaça. Por exemplo, a actinobactéria que já vive há 500 mil anos poderá ser eliminada por conta do aquecimento global se a camada de permafrost siberiano derreter!

Aprecie e reflita:

E a resposta para a dúvida, como fica? Bem, eu só sei sobre os meristemas (aqui em imagens), as “células-tronco das plantas”, e gostaria muito de receber ajuda para uma resposta mais completa. Quem se habilita?

apareceu o debate!

Julho 31, 2010 § 2 comentários

Quem esteve acompanhando as últimas notícias sobre ciências, especialmente na mídia impressa e internet, certamente aproveitou diversos relatos interessantes sobre a 62a. Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, que terminou ontem em Natal.

De todas as informações bacanas que li e vi por aí, o que mais gostei foi de tomar conhecimento de um novo formato de discussão que foi testado pela primeira vez nesta reunião da SBPC.

Eu já esbravejei por aqui sobre a ausência de debate em reuniões científicas mesmo nos fóruns programados para tal, como mesas redondas. É algo que, a meu ver, vai contra a essência da ciência.

Fiquei, portanto, bem contente ao ver meu desejo se tornando realidade (embora, infelizmente, não ao vivo): no “Ciência em Ebulição”, dois expositores confrontam ideias de modo similar aos debates políticos, com tempo de fala, réplica etc. E para garantir alguma ebulição, os organizadores colocaram frente a frente cientistas com ideias e resultados sabidamente contrastantes. Ou seja, os pesquisadores foram se encontrar preparados para um confronto.

Vale a pena ler os links abaixo, sobre os primeiros  “Ciência em Ebulição”:

Li nesses ótimos relatos na Ciência Hoje que os debates foram interessantes e o formato idem, embora a necessidade de alguns ajustes tenha sido verificada. Mas já parece ser um bom passo para que se possa voltar a falar em “contendas da ciência”!

Parênteses: o texto do Bernardo questionou bem “até que ponto [o debate] jogou luz sobre os aspectos da ciência do clima que dividem alguns cientistas”. Sobre esse tema, vale a leitura do último post de Marcelo Leite: Três vezes clima.

retrospectiva ciência na mídia 2009: VI – fiasco

Dezembro 26, 2009 § 2 comentários

Dando sequência à série retrospectiva ciência na mídia 2009, esse post é dedicado ao grande fiasco científico do ano. O LHC esteve bem perto de conseguir seu espaço aqui, mas aos 15 minutos do segundo tempo garantiu presença em outro post da série. Sendo assim, acho que não resta dúvidas que o troféu de grande fiasco vai pra COP-15, embora a conferência já tenha passado por esta retrospectiva sob a forma de charges.

Cerimônia de abertura da COP-15 em 07/12/2009.

A celeuma dos e-mails hackeados e divulgados por alguns dos chamados “céticos do clima” às vésperas da COP-15 foi grande (episódio batizado de climagate). Isso só aumentou o medo do fiasco, que já era grande. Mas acho que poucos imaginaram que seria TÃO fiasco assim…

A conferência começou com grande expectativa e ampla cobertura midiática. Mereceu até um feito histórico na história do jornalismo: um mesmo editorial foi publicado em 56 jornais de 45 países e em 20 línguas distintas. Mas ao longo da quinzena do evento a coisa esfriou (longas filas de espera no frio glacial de Copenhague, péssima organização do evento denunciada por jornalistas) e esquentou muitas vezes (a entrada de muitos foi restringida e a polícia não foi nada simpática aos protestos, Schwarzenegger discursou e mandou um “I’ll be back” e a Monsanto ganhou o prêmio ‘A Sereia Furiosa’ por sabotar ações para enfrentar a mudança climática)  até que desandou de vez e terminou com resultado pífio (veja o “acordo” final).

Na hora em que nossa estrupícia ministra soltou aquela inacreditável frase, fiz coro ao resto do mundo achando que era mais um fiasco. Mas hoje, depois de pensar melhor, já a vejo como sábia. Dilma foi, de fato, a única que entendeu todo o espírito da COP-15 e por isso soltou: “o meio ambiente é uma ameaça ao desenvolvimento sustentável” (veja a declaração ao vivo e a cores, da boca da própria muy perspicaz Dilma aqui).

Brincadeiras à parte, recomendo a ótima análise de @abranches sobre o resultado final da conferência em COP15: o rescaldo do fracasso. Abaixo, um trechinho selecionado deste post:

O problema é que a COP15 nunca foi sobre a ciência da mudança climática, sempre foi sobre a política da mudança climática.

Do ponto de vista da ciência da mudança climática, Copenhague foi um grande fracasso. Da perspectiva da política da mudança climática, houve progresso.

retrospectiva ciência na mídia 2009: II – charge

Dezembro 20, 2009 § 2 comentários

Dando sequência à série retrospectiva ciência na mídia 2009, nesse post vamos de charges.

Pensei, pensei, pensei, e acho que as melhores charges são todas referentes à COP-15. Afinal, nada como um big fail para atiçar o lado humorístico; é sempre melhor rir que chorar…

É o que todo mundo se perguntou durante as 2 semanas de debates na COP15. E a pergunta continua válida... (via Jornal da Ciência - clique na imagem para vê-la em seu contexto original).

Nada como olhar um olhar histórico sobre os debates da COP-1 para entender a importância de a COP-16 ser um pouquinho melhor que essa retratada abaixo (via @oatila - clique na imagem para vê-la em seu contexto original).

Melhor resumo que vi sobre os debates que rolaram na COP-15 (via Pharyngula - clique na imagem para vê-la em seu contexto original).

E aí, sugestões de boas charges de 2009 sobre este ou outro tema?

tudo ao mesmo tempo agora

Novembro 23, 2009 § 2 comentários

Essa semana é especial. Sim, amanhã é o grande aniversário! Mas isso é papo para o post de amanhã. Por enquanto iniciemos a semana com os mais-mais dos últimos dias. São tantos acontecimentos que não fui capaz de escolher um só para desenvolver e vou deixá-los com uma seleção que inclui prótons, cultura digital, entidade esotérica e briga de cachorro grande:

1) O acelerador de partículas LHC já foi religado e realiza testes.

– entenda o funcionamento do LHC no Física na Veia;

– se ficou alguma dúvida, a série de infográficos no G1 deve resolver;

– fotos maravilhosas do interior do LHC no Boston.com.

2) Seminário Internacional do Fórum da Cultura Digital Brasileira.

– saiba o que é o Fórum e veja a programação do Seminário;

– o que foi, como foi, o que faltou no Amiga Jane: TV ainda está fora da memória digital e As meias, os meios e as mídias do ministro;

– se você perdeu o evento, pode assistir às conferências via web aqui.

Parênteses: o Eugênio Bucci, lá no Observatório da Imprensa, reclamou que ninguém tá falando da Confecom. Esse mês vêm pipocando as conferências estaduais e no próximo mês (14 a 17/12)  ocorrerá a 1a. Conferência Nacional de Comunicação. Vale ler o protesto de Bucci no link do OI.

3) Senado vai convidar uma “entidade científica esotérica, especializada em fenômenos climáticos” (seja lá o que isso quer dizer) para explicar o apagão.

matéria no G1 explica essa inacreditável história;

– saiba que a palhaçada já é antiga, ao menos no RJ, no Discutindo Ecologia;

– veja ótima análise do disparate no Brontossauros em meu Jardim.

4) Mas a bomba recém explodida e que ainda vai dar muito o que falar é a sobre o arquivo de e-mails da Climate Research Unit da Universidade de East Anglia, que foi roubado e divulgado na internet. De posse do material, os chamados céticos do clima estão acusando importantes climatologistas de mentirosos, fraudulentos e conspiradores.

– entenda toda a confusão na compilação de Sérgio Abranches no Ecopolítica;

– boas matérias no New York Times e na BBC;

– análise de um dos e-mails no Climate Progress;

– explicação no Real Climate dos cientistas envolvidos na celeuma.

Para ajudar, pesquisas apontam cansaço da opinião pública sobre o debate climático em geral (no Guardian Environment e G1 Ciência e Saúde). Ao que parece, a COP-15 será mesmo #Floppenhagen (boa avaliação sobre isto no Rastro de Carbono).

Where Am I?

You are currently browsing entries tagged with aquecimento global at ciência na mídia.

%d bloggers like this: