natureza falante

Outubro 19, 2014 § Deixe um comentário

Kevin Spacey é a Floresta Tropical. Julia Roberts é a “Mãe Natureza”. Harrison Ford é o Oceano. Edward Norton é o Solo. Penélope Cruz é a Água. Robert Redford é a Floresta de Sequoias. Trata-se da série Nature is speaking da Conservation International (CI), que já tem mais dois vídeos em produção: “Recifes de Coral” e “Flores”.

Os vídeos são lindos e muito das mensagens também, como no vídeo da Floresta Tropical, em que ela desafia os humanos a produzirem ar (na verdade seria a parte respirável do ar, ou seja, o gás oxigênio) como ela. Acho apenas um pouco equivocada a abordagem de opor seres humanos e natureza. Seres humanos são parte da natureza, oras. Fundamental condenar o comportamento excessivamente predatório e destruidor que vem caracterizando a ação humana, mas me parece que enxergar isso dentro de uma teia, como de fato é, é mais educativo que fazer a separação. Gosto da ideia da CI, que vejo na campanha, de mostrar a natureza como maior que os humanos e não dar tanta ênfase na ideia de que os seres humanos precisam consertar a natureza, como muitas campanhas de conservação ambiental fazem. A mensagem de que a natureza está aí muito antes de nós e que continuará depois da extinção da espécie humana, com ou sem mudanças, é muito boa. Mas acho que um pouco da ideia se perde quando a oposição é feita. Embora o “Humanifesto” reconheça os seres humanos como parte da natureza, minha impressão é que todo o resto tem mais o enfoque de oposição…

De qualquer forma, vale muito a pena assistir e compartilhar esse belo trabalho. Abaixo, dois dos que mais gostei. A sequência completa pode ser vista aqui.

Anúncios

de canários a biomonitoramento

Janeiro 27, 2013 § Deixe um comentário

Na última coluna da revista Quanta que está nas bancas, retorno brevemente a um dos temas que mais me encantou durante a graduação em ciências biológicas: o uso de organismos para mensurar impactos ambientais (biomonitoramento). Depois de conhecer a história do uso de canários em minas de carvão na Inglaterra nesse material da Nature Education (aliás, o conjunto todo da Scitable é muito bom!), achei que tinha a ligação perfeita para uma sequência de posts do Ecce Medicus comparando o sistema respiratório de aves com o de humanos que venho usando em minhas aulas.

Abaixo do texto (clique na imagem para lê-lo ampliado), uma pequena seleção de exemplos do uso de espécies bioindicadoras. Boa leitura!

coluna_Quanta8

Atualização em 19/10/2013: e que tal esse exemplo? Cera de ouvido de baleia como bioindicador da qualidade dos oceanos.

beleza com uma pitada de sal

Setembro 18, 2012 § Deixe um comentário

Voltei!

A matéria de capa última edição da revista Quanta traz uma bela reflexão sobre um velho problema: a gestão dos recursos hídricos. Leitura recomendadíssima, que seria muito bem acompanhada desses outros materiais, especialmente para uso em sala de aula:

  • animação da Hole Oceanographic Institution que mostra de maneira muito clara a quantidade de água disponível na Terra;
  • material (vídeo, infográficos e recursos interativos) do interessante projeto de jornalismo narrativo 1oo Gallons;
  • belo infográfico indicando o consumo de água por país e por atividade.

Pegando carona no tema, minha coluna deste número é sobre os oceanos. E a “desculpa” principal para o texto foi o livro Oceanos: muitos mundos de vida lançado pela Convenção da Biodiversidade Biológica. A coluna segue abaixo (clique na imagem para ver o texto em tamanho maior), mas aproveito para indicar outras viagens oceânicas:

biomas brasileiros

Junho 28, 2012 § 4 comentários

Concordo com o Luiz Bento quando diz que a Rio+20 não foi um fracasso porque nem fazia sentido esperar mais do que uma carta de intenções como documento final, já que metas e ações mais concretas devem advir das COPs. O que parece ter havido de mais bacana na Rio+20 foram os “eventos paralelos”. Por exemplo, a exposição Darwin Tocorimé deve ter sido sensacional; torço para que circule por outras partes do Brasil agora pós conferência, fiquei curiosa por embarcar nesse veleiro!

A boa notícia é que outra dessas belas exposições, a Biomas do Brasil, agora tem visita virtual. Então mesmo que não circule por outras cidades (o que seria uma pena!), ao menos é possível apreciar virtualmente o belo trabalho organizado pela equipe da Natureza em foco, sob comando do querido José Sabino. Além da visita virtual, acessível no link acima, foi elaborado também um site relacionado à exposição, com informações sobre sobre cada bioma brasileiro acompanhadas de belíssimas fotos. Um belo material para trabalho didático sobre o tema!

rios voadores

Maio 1, 2011 § 1 Comentário

Radicado no Brasil há mais de vinte anos, o suíço Gérard Moss vem liderando uma sequência ímpar de viagens e pesquisas ao lado de sua esposa Margi Moss. O mais recente, e que começou a apresentar seus primeiros resultados em 2009, é chamado Rios Voadores. Trata-se de cursos de vapor de água resultantes da transpiração de grandes florestas, como a amazônica, que percorrem longas distâncias e interferem no ciclo hidrológico de outras regiões.

Esta matéria da Ciência Hoje e este artigo da Pesquisa Fapesp, escritos à época dos primeiros resultados apresentados, resumem bem este belo projeto de Moss. A novidade é o vídeo abaixo, recente no site da Expedição Rios Voadores, que explica de maneira bastante didática o que é este fenômeno e como interfere no regime de chuvas do centro oeste, sul e sudeste do país, além  de outras regiões do sul da América do Sul.

Espero que após assistir a este belo material você esteja convencido, como sonha Moss, de que “não vale a pena cortar uma árvore mais da Amazônia” em favorecimento de uma expansão agrícola que pode ser realizada em áreas já degradadas.

Where Am I?

You are currently browsing the sustentabilidade ambiental category at ciência na mídia.

%d bloggers like this: