atualidades biológicas fresquinhas – IV

Novembro 27, 2010 § 1 Comentário

Dando continuidade à série atualidades biológicas fresquinhas para os vestibulares 2010, o tema desse post é biodiversidade.

Segue abaixo o conjunto de slides de uma aula que montei para alunos do ensino médio e aqui um amplo ampanhado de links para aprofundamento sobre o tema.

atualidades biológicas fresquinhas – I

Novembro 5, 2010 § 7 comentários

E começa agora uma nova série aqui no blog: atualidades biológicas fresquinhas para os vestibulares 2010.

Vestibulandos poderão aproveitar um pouco dos links (e slides, em alguns dos posts) apresentados nessa retrospectiva para revisar alguns dos temas mais importantes relacionados à biologia que foram pauta neste ano.

Os demais leitores do blog, bem como paraquedistas de diversas paragens, poderão tirar proveito da mesma forma. Este ano, em lugar de fazer o retrospectiva ciência na mídia como fiz ano passado, farei esta série. Dá na quase mesma: só muda um pouco o “formato”, começa um mês antes e é centrado na biologia.

Findo o intróito, vamos ao primeiro tema: evolução humana. Seguem abaixo o conjunto de slides de uma aula que montei para alunos do ensino médio e alguns links para aprofundamento sobre o tema.

 

os seres mais antigos do mundo

Setembro 18, 2010 § 6 comentários

Nesta última quinta feira ganhei de um aluno uma dessas perguntas que engasgam o professor ao mesmo tempo que o enchem de orgulho: por que as plantas podem viver milênios e os animais não?

E qual não foi minha surpresa ao encontrar essa ótima TED Talk num sábado de navegação pela web: The world’s oldest living things. A palestra é proferida por Rachel Sussman, que ao longo dos últimos 5 anos tem viajado ao redor do mundo com o intuito de registrar a resilência da vida identificando e fotografando seres vivos com mais de 2 mil anos de idade.

Achei a proposta fantástica! O trabalho, que como ela mesma classifica “é metade arte e metade ciência”, tem o dom de nos fazer refletir sobre o tempo, esse nosso eterno inimigo (será?).

E Ariel estava coberto de razão: dentre os matusaléns espalhados pelo mundo há muitas plantas, um fungo, uma super bactéria congelada em permafrost e apenas um animal (um coral de 2 mil anos de idade, um dos mais jovens da turma, localizado na costa de Tobago).

A beleza inusitada do trabalho de Sussman vem acompanhada de um alerta triste: muitos desses seres milenares agora estão sob ameaça. Por exemplo, a actinobactéria que já vive há 500 mil anos poderá ser eliminada por conta do aquecimento global se a camada de permafrost siberiano derreter!

Aprecie e reflita:

E a resposta para a dúvida, como fica? Bem, eu só sei sobre os meristemas (aqui em imagens), as “células-tronco das plantas”, e gostaria muito de receber ajuda para uma resposta mais completa. Quem se habilita?

“funcionário do mês” – Fritz Müller

Dezembro 11, 2009 § 1 Comentário

Johann Friedrich Theodor Müller, em rara fotografia disponível.

Johann Friedrich Theodor Müller, mais conhecido como Fritz Müller, foi um naturalista alemão (1821-1897) que emigrou para o Brasil, instalando-se em Blumenau-SC nos anos 1850. Müller era um grande entusiasta da teoria da seleção natural de Darwin. Mais que isso, foi dos mais importantes colaboradores para o teste empírico desta.

As várias observações experimentais com seres vivos realizadas por Müller ofereceram diversos argumentos em favor das concepções de Darwin. O primeiro conjunto de observações foi realizado com crustáceos do litoral catarinense e organizado no livro Für Darwin (Pró Darwin – versão em inglês disponível no Projeto Guttemberg). O livro também marcou uma longa série de correspondências trocadas entre Darwin e Müller.

Dentre as diversas contribuições de Müller à biologia evolutiva, destaca-se a descrição do fenômeno que ficou conhecido como mimetismo mülleriano (à diferença do mimetismo batesiano, em que a interação entre as espécies resulta em benefícios apenas para o mímico, com eventuais prejuízos para o modelo, no mimetismo mülleriano há benefícios mútuos para as espécies envolvidas).

Apesar de todas essas importantes contribuições, incluindo o fato de que importantes testes empíricos da teoria de Darwin tenham sido conduzidos por aqui, Fritz Müller é bastante desconhecido dos brasileiros, mesmo entre os biólogos. Esse ano, excepcionalmente, a figura de Müller  finalmente veio à tona com as comemorações do ano de Darwin, embora ainda de maneira incipiente. Em outubro, a Universidade Federal de Santa Catarina concedeu-lhe, in memorian, o título de doutor honoris causa.

Para saber mais sobre a vida e obra de Fritz Müller:

[A coluna “Funcionário do Mês” é postada todo dia 10 (dessa vez 11!) aqui no blog. Acesse aqui as colunas anteriores sobre a vida e trabalho de outros importantes cientistas e/ou divulgadores de ciências.]

Atualização em 16/12/2009: Descobri no blog da Miriam Salles que há 3 excelentes documentários sobre Fritz Müller. No link indicado você pode assistir a um deles (Caro Mr. Müller) e ter acesso a outros dois (Fritz Müller; A prova da evolução).

Darwin, A origem e… história da ciência

Novembro 28, 2009 § 1 Comentário

Chegamos a fim da semana comemorativa aos 150 do livro apelidado de “Origem das Espécies”. Houve muitas comemorações, palestras, debates e, claro, a blogosfera científica pegou fogo.

Procurei reunir em post anterior, publicado no dia D, o que vi de mais interessante nas navegadas pela net. Tinha ideia de fazer uma nova seleção para fechar a semana, mas o urgente vem cada vez mais tomando o lugar do importante. Assim, vou apenas dar um breve “tchau, Darwin!”:

  • está impagável a sequência de tirinhas comemorativas que o Fernando Gonzáles publicou na edição impressa da Folha de São Paulo em 22/11/09. A que abre o post é um exemplo, mas há MUITAS mais. Veja aqui o material completo;
  • o Espaço Aberto Ciência e Tecnologia da Globo News fez um especial  muito bacana com o seguinte mote: “e se Darwin pudesse usar fotos da Nasa e a ciência do genoma em sua viagem pelo mundo a bordo do Beagle?” Veja o vídeo do programa aqui;
  • No Discutindo Ecologia, o Luiz Bento apresentou uma importante reflexão sobre a construção histórica da teoria da evolução, enfatizando a importância dos antecessores e contemporâneos de Darwin, geralmente negligenciados ou rapidamente apontados como aqueles que apresentaram a “teoria errada”. Leia aqui. Recomendo fortemente a leitura desse post, muito sintonizado com o que falei outro dia aqui sobre a história da ciência no ensino de ciências (a história que falta).

Depois dessa ligação entre os antecessores e os sucessores de Darwin, encerro com as palavras de Salzano*:

DA ORIGEM DAS ESPÉCIES À BIOLOGIA MODERNA

Há 200 anos, nascia em família abastada da Inglaterra o naturalista Charles Darwin. Sua obra principal, “Origem das Espécies”, publicada em 24 de novembro de 1859, pode ser considerada como uma das mais importantes em toda a história da humanidade. Enquanto os estudos de Nicolau Copérnico (1473 – 1543) demonstraram que nosso planeta não estava no centro do universo conhecido, Darwin realizou tarefa semelhante, de demolição da ideia de que éramos seres privilegiados, criados de maneira separada de todos os outros seres vivos. Na verdade, somos apenas um elo no processo evolutivo que liga toda a matéria viva entre si. Caía por terra, portanto, todo um passado de arrogância. O mundo nunca mais seria o mesmo após a publicação de seu livro.

Darwin certamente ficaria maravilhado com os desenvolvimentos que ocorreram, especialmente nos últimos 30 anos, na área da genética e da biologia molecular. Um século e meio após a publicação de sua obra seminal, o paradigma principal da seleção natural como força direcionadora da evolução, reavivado pela teoria sintética** e reforçado pela revolução molecular, permanece tão atual como nunca.

* Francisco Salzano é professor no Departamento de Genética, Instituto de Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Esse texto de sua autoria integrou material comemorativo do Conselho Regional de Biologia – 1a. Região.

** Falei um pouco sobre a teoria sintética nesse post aqui.

Where Am I?

You are currently browsing the evolução e diversidade category at ciência na mídia.

%d bloggers like this: