jornalismo científico, por fim!

Junho 30, 2009 § 3 comentários

A coisa mais difíl hoje em dia é achar jornalismo científico na chamada “grande mídia”. Há repetições de press releases, há pseudociência ou ciência má explicada etc etc etc. Mas dois dos maiores jornais do país mostraram, um ontem e outro hoje, que conseguem fazer jornalismo científico quando querem.

Tô aqui me perguntando o que será que aconteceu de novo que justifique essa diferença… Destinaram mais verba interna pra essa seção? Deram mais tempo pro jornalista pesquisar antes de redigir a matéria? Deixaram um não-jornalista escrever as notícias no embalo da deliberação do STF? Leram alguns posts anteriores desse blog aqui? Mistério…

Mas vamos aos exemplos! Um está na Folha Online de ontem: Grupo busca em fósseis e DNA origem de mãos e pés. O outro está no Estadão de hoje: Do vôlei para a célula-tronco.

O primeiro trata de um interessante achado para os estudos da evolução do desenvolvimento. Tem começo, meio e fim, coisa infelizmente rara no pseudo-jornalismo científico com que nos deparamos diariamente, explica termos técnicos pro leigo e relaciona o conhecimento científico ao seu cotidiano.

O segundo usa a trajetória de vida de um cientista como eixo condutor da narrativa e – aleluia! – foge daquela visão estereotipada do cientista-maluco preso à sua cozinha-laboratório. Mostra um cientista que tem certas preferências musicias e esportivas, menciona anedotas de ex-namorada… fala, enfim, de uma pessoa.

Leiam lá, vale a pena!

Advertisements

Tagged: , , ,

§ 3 Responses to jornalismo científico, por fim!

  • Fernanda diz:

    Oi!

    Legal, mesmo. Inspirador :-)

    Abraços!

    Fernanda

  • Olá Tatiana,
    primeira vez no seu blog e estou gostando bastante.
    Achei legal você ter notado a qualidade das matérias que citou. Posso falar em espécifico da primeira.
    O Cláudio Ângelo (editor de ciência da Folha) esteve em Chicago e visitou nosso lab. Pudemos explicar bem o que estávamos fazendo e o Cláudio, na minha opinião, fez um ótimo trabalho com a matéria.
    Penso que quando o jornalista tem acesso direto aos pesquisadores, ao invés de adaptar ou reproduzir matérias publicadas por outra fonte, faz toda a diferença.
    ps: inaugurei um blog mês passado sobre evodevo: http://evodevobr.blogspot.com/
    Adoraria sua opinião.
    Abraços
    Igor

    • trnahas diz:

      Olá, Igor.
      Muito obrigada pela visita e ótima contribuição!
      Concordo plenamente com você sobre a grande diferença entre uma matéria resultante de pesquisa prévia por parte do jornalista, interação com os pesquisadores etc e outra feita com base em press releases, por exemplo.
      Parabéns pelo seu trabalho e vou já dar uma espiada no seu blog!
      Abração,
      Tatiana

Deixe um comentário ao post

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

What’s this?

You are currently reading jornalismo científico, por fim! at ciência na mídia.

meta

%d bloggers like this: