cadê o debate?

Junho 23, 2009 § 2 comentários

Vou fugir um pouco da ciência na mídia para esbravejar um pouco sobre a ciência na academia. Outro dia falei dos problemas de fraudes  e plágios acadêmicos no post picaretagem científica. Hoje queria chamar a atenção de outro ponto que acredito falho: o conceito de mesa-redonda nos congressos científicos.

Encontrei uma definição bem legal sobre mesa-redonda (clique aqui para ver a fonte):

mesa-redonda

s. f.
Reunião de pessoas que, em pé de igualdade, discutem ou deliberam sobre assuntos importantes.

Acho que ninguém discorda dessa definição; no máximo pode propor uma ou outra alteração, mas a essência está aí. E a essência é, por conseguinte, o debate, a discussão.

Contudo, não venho achando justamente isso: o debate, a discussão… Quem tem frequentado congressos, simpósios, reuniões científicas em geral, sempre se depara com essa modalidade de apresentação. Há as palestras, as conferências, os painéis etc etc etc e… a mesa-redonda. Teoricamente seria este o espaço para o debate, para a exposição de idéias antagônicas, para construção de conhecimento. Mas a realidade vem sendo bem outra. Geralmente são exposições diversas, entremeadas por algumas poucas perguntas da platéia. Isso é conferência, simpósio, o escambau, mas não mesa-redonda.

Por quê nossa academia se furta ao debate? Qual o problema em discordar?  Em questionar? Em comparar? Em revisar? Isso não é falta de educação, como pode parecer pra alguns. Não tem que ser constrangedor, desde que  o debatedor fundamente seu ponto de vista e dê espaço para a contra-argumentação do outro. Isso é construção coletiva do conhecimento, essência da ciência! Todos – expositores e platéia –  se beneficiam de um debate genuíno.

Mas por aqui parece que pega mal debater, o sujeito que se arrisca é logo tachado de cri-cri ou de inimigo do expositor, como se fosse questão pessoal e não discussão de idéias. Estamos cansados de saber que é assim que funciona “na firma”, nos lares de educação mais rígida etc; mas se não na academia, então onde?

Acho que vão sobrar mesmo apenas as mesas-redondas dos programas televisivos esportivos, em que o futebol é entusiasticamente debatido, comentado, analisado, escarafunchado por todos os integrantes. Nadíssima contra, só queria ver euforia similar no debate científico da nossa academia…

Tagged: , ,

§ 2 Responses to cadê o debate?

  • Luiz Bento diz:

    Bela reflexão. E as “defesas” de tese e dissertação que não tem mais nada de “defesa”? Casos de conceitos diferentes de A são muito raros e ainda mais casos de veto ou pedido de revisão da tese. Temos palestras apenas para alunos de IC dos laboratórios. Uma piada.

    • trnahas diz:

      É verdade, Luiz, ainda tem mais essa! Nunca ouvi falar de ninguém reprovado, embora alguns casos bem merecessem… A gente tá cansado de saber de teses que tiverem que ser escritas apressadamente pelo orientador porque o orientando não tinha a mínima condição e, como tá tudo quanto é departamento no desespero de não baixar a nota CAPES, quase vale tudo pro cara terminar a tese, defender… É, no mínimo, triste!

Deixe um comentário ao post

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

What’s this?

You are currently reading cadê o debate? at ciência na mídia.

meta

%d bloggers like this: