qual é a taxa de mortalidade infantil no Brasil?

Novembro 18, 2008 § Deixe um comentário

Hoje precisei citar a atual taxa de mortalidade infantil no Brasil em um trabalho que estava fazendo. Lembrei que semana passada saiu uma nova pesquisa e joguei na net. A primeira notícia que encontrei foi da seção de Ciência e Saúde da UOL publicada em 12/11/2008: segundo o Relatório sobre a Situação da População Mundial 2008, divulgado pelo Fundo de População das Nações Unidas (Unfpa), a taxa de mortalidade no Brasil é de 23 por mil.

Nessa mesma notícia há um box referente às informações do Ministério da Saúde dizendo que este utiliza metodologia distinta e obteve, em 2006, uma taxa de mortalidade infantil de 20,4 mortes em cada grupo de 1.000 nascidos vivos. Fui para o site do ministério: o número indicado é 20,4 óbitos a cada grupo de 100 mil nascidos vivos. Espero que seja só erro de digitação…

O ministério contesta a metodologia empregada no primeiro estudo. Mas os últimos dados do ministério são de 2 anos atrás. Fui ver então se havia coisa mais nova em outro órgão do governo. No site do IBGE, é possível baixar o pdf do estudo Evolução e Perspectivas da Mortalidade Infantil no Brasil. Mas o estudo é de 1999.

Segui na busca. No site da revista IntegrAção, da FGV, há uma referência à pesquisa do UNICEF de 2006. Fala de melhoras e pioras em relação a outras pesquisas e a outros países, mas não aparece a taxa. Estava quase seguindo adiante na pesquisa quando encontrei um número: 26,6 por mil em 2004 segundo o IBGE. Ou o site da revista da FGV tem dados do IBGE mais atualizados que o próprio IBGE, ou eu ando mesmo muito mal de buscas na internet… De qualquer forma, o dado é de 2004 e eu estava em busca de resultado mais atual.

Fui então para o site do UNICEF procurar a tal pesquisa mencionada pela Revista IntegrAção e… ficou comprovado que eu ando mesmo muito mal de buscas na internet: não consegui achar NADA sobre a tal pesquisa. Nem mesmo digitando o termo mortalidade infantil na busca do site… Mas fiquei sabendo que a Daniela Mercury é embaixadora do UNICEF! Viram como sou viajandona?

Resolvi então voltar para o site do Ministério da Saúde. Já que eu teria que me contentar com esses dados, queria encontrar um pouco sobre a metodologia da pesquisa. Fuça daqui, fuça dali… baixei dois pdfs. Um é intitulado “Saúde Brasil 2007 – Uma análise da situação da saúde – Pefil de mortalidade do brasileiro” datado de 06/11/2008. Era tudo o que eu queria, certo? Isso se tivesse a taxa de mortalidade infantil… Pra não dizer que não tem nada sobre mortalidade infantil no perfil de mortalidade do brasileiro, encontrei o seguinte (tabela transcrita ipsis literis):

Mort. Proporcional menor de 1 ano, 1996 e 2005.
Região 1996 2005 Dif.
N 15,8 11,3 -28,5
NE 11,6 7,4 -36,2
SE 6,9 3,7 -46,4
S 6,2 3,4 -45,2
CO 9,6 6,1 -36,5

Somando os dados da coluna de 2005, dá 22,9. É um novo número. E um novo ano. E uma nova dúvida: por que no ano de 2008, em uma apresentação cujo título refere-se ao ano de 2007, o MS usa um dado de 2005, se o mais atual que tem é o de 2006?

O outro pdf chama-se “Painel de indicadores do SUS” e é de 2006. Ali a taxa de mortalidade infantil é 22,5 por mil.

Quando estava praticamente convencida de que eu ando mesmo muito mal de buscas na internet, descobri o site da RIPSA. Aprendi que o Ministério da Saúde, em ação conjunta com a Representação da OPAS/OMS no Brasil, vem desenvolvendo estratégia de articulação interinstitucional objetivada na criação de uma Rede Interagencial de Informações para a Saúde (RIPSA). Clique aqui para ver as instituições participantes e conhecer a RIPSA.

Rapidinho digitei “mortalidade infantil” na busca. Mais um pdf pra baixar. Era um relatório do grupo de trabalho referente a uma reunião realizada em 13/11/2007 na Fiocruz. E dessa vez sim achei uma informação bem clara sobre a taxa de mortalidade infantil no Brasil! Qual seja:

As estimativas apresentadas sobre a mortalidade infantil obtida por diferentes métodos mostram resultados dispares. Ante essa situação decidiu-se realizar uma comparação dos diferentes métodos para estimar a mortalidade infantil, agrupando os municípios de acordo ao tamanho de população no ano 2000. (…) Numa primeira etapa as estimativas serão realizadas para municípios com população igual ou acima de 80 mil habitantes. (…) Nas áreas onde as estimativas de mortalidade infantil sejam muito discrepantes a SVS, utilizando o pessoal que trabalha nos Estados, realizará trabalho de campo para conhecer melhor as condições de saúde desses municípios de forma a poder oferecer subsídios para decidir qual seria o método mais apropriado a ser utilizado para calcular a mortalidade infantil. Espera-se realizar essa atividade durante os meses de maio-julho de 2008. (…) Para os municípios com população abaixo de 80 mil habitantes será desenvolvida metodologia específica durante o segundo semestre de 2008, apoiado nos resultados encontrados para os municípios com população de 80 mil habitantes e mais. Espera-se contar com um panorama completo da mortalidade infantil em nível de municípios, no final de 2008.”

Quer dizer: a essa altura do campeonato, nono ano do século XXI, vamos tratar de descobrir qual a taxa de mortalidade infantil no Brasil, um índice usado como referência pra miiiiiiiiil coisas! Ê-lai-á!!!

Em tempo: a mortalidade infantil, conforme consta do site do IBGE, indica quantas crianças no período de um ano, num grupo de mil, morrem antes de completar um ano de idade.

Anúncios

Tagged: , , , , , , , , , , , ,

Deixe um comentário ao post

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

What’s this?

You are currently reading qual é a taxa de mortalidade infantil no Brasil? at ciência na mídia.

meta

%d bloggers like this: