homo sapiens 1900

Dezembro 9, 2009 § 9 Comentários

Capa da versão em DVD do documentário de Peter Cohen.

Ontem finalmente assisti Homo sapiens 1900. O documentário é de 1998 e foi lançado em DVD há quase 2 anos, mas a minha listinha de filmes tem caminhado muito pouco ultimamente…

O documentário é simplesmente fantástico! O melhor filme de, sobre e com ciência que já vi, sem dúvida.

Imperdível é o mínimo que se pode dizer. E uma verdadeira aula de história da ciência como ela é, ou seja, entremeada na história da humanidade e interagente com suas questões políticas, sociais, ideológicas etc.

Na web, achei duas versões na íntegra, mas eu realmente recomendo assistir no DVD para aproveitar melhor as imagens maravilhosas! A seguir, umas breves considerações sobre o filme só para deixar registrada minha reverência. Aqui tem uma resenha mais completa.

O sueco Peter Cohen destacou-se no mundo cinematográfico com o também fantástico documentário Arquitetura da destruição – a filosofia nazista da beleza por meio da destruição. Mas eu achei Homo sapiens 1900 ainda melhor!

Grande parte da beleza e “eficiência” do filme está na forma com que Cohen estrutura a narrativa. É difícil não cair no lugar comum da analogia com a teia, porque é exatamente isso que ele faz com tanta maestria: ligar ponto a ponto os acontecimentos em diversas partes do mundo, conferindo-lhes o contexto histórico cabível. E assim narra a saga da busca de aperfeiçoamento do homem por meio da eugenia.

Um dos principais méritos do documentário é desmistificar a eugenia como movimento exclusivo de uma Alemanha nazista ou das irmãs fascistas. Antes, Cohen faz um amplo apanhado do movimento eugenista desde sua concepção e traça o percurso de sua aplicação e/ou debate até culminar em sua expressão máxima no regime nazista alemão.

Esse percurso começa já no título, com a referência à redescoberta das leis genéticas do padre austríaco Gregor Mendel em 1900. O inglês Francis Galton está entre as próximas personagens em cena, apresentado como um  entusiasta da teoria de seleção natural de Darwin. Galton foi dos primeiros a defender a utilização de cruzamentos seletivos já aplicados à agropecuária para promover a melhoria da espécie humana. Uma “justificada” seleção artificial.

Era o nascimento de uma ciência obcecada com o aprimoramento da espécie humana, tanto por meio da reprodução das características “boas” (eugenia positiva – transmissão das características “desejáveis” às novas gerações), quanto pela eliminação das “más” (eugenia negativa – esterilização e extermínio de portadores de características que “sujariam” a espécie humana).

O fortalecimento da eugenia não aconteceu sem controvérsias. A principal contenda retratada no documentário foi entre os lamarckistas e os mendelianos. Cada corrente teve mais ou menos força dependendo do lugar e da época. Na então URSS, nos EUA e na Suécia, a eugenia ganhou força até mesmo sob a forma de política de estado, bem antes da estruturação do nazismo na Alemanha.

Na Suécia, por exemplo, houve a fundação do Instituto de Biologia Racial em 1922. Nos EUA, a lei de esterilização forçada implantada em 1907 em um dos estados estendeu-se posteriormente para outros 20 estados.

Logo do Segundo Congresso Internacional de Eugenia, realizado em 1921.

O logo acima dá bem a ideia da proposta eugênica: “Eugenia é o auto direcionamento da evolução humana. Como uma árvore, a eugenia constrói sua substância a partir de múltiplas fontes e os organiza em uma entidade harmônica.”

E hoje? Será que a eugenia é apenas um dos passos mais deploráveis que a humanidade já deu ou ainda há resquícios de ideais eugenistas com chances de vir à tona com alguma força?

Atualização em 03/08/2010: E eis que alguns meses depois deste post o Kentaro Mori escreve uma belíssima reflexão sobre a “eugenia atual” a partir do caso do chinês jogador de basquete Yao Ming – imperdível!

Tagged: , , , , , , , ,

§ 9 Responses to homo sapiens 1900

  • janewell diz:

    Tati,
    Muito boa indicação. Não vi o documentário do Cohen (correndo para a locadora: programa para o findi, no mato). Mas seu relato, me trouxe a lembrança de Gattaca, que considero dos melhores exemplares da ficção científica moderna (http://bit.ly/73BBbz). Seleção genética de humanos num futuro não muito distante. A Luisa Massarani submeteu trechos do filme a estudantes de vários níveis para discutir cultura científica. É parte da tese dela. Parabéns pelo post.
    Bjs,

    Lacy

    • trnahas diz:

      Obrigada, Lacy! Espero que você goste do filme (depois conta, heim!).
      Também acho GATTACA muito bom! É uma boa ponte essa entre o que de fato já ocorreu na história da humanidade (retratado no doc do Cohen) e o que pode perfeitamente acontecer (como o ficcionado em Gattaca), em termos da concepção por trás da manipulação genética do ser humano.
      Não sabia da tese da Luisa; ótima dica, vou procurar. Beijão!

  • Não sabia da existência desse documentário, mas me deixaste com vontade de vê-lo. Já vi que não é difícil de encontrá-lo, ainda bem, poderei aumentar a minha coleção imensa de DVDs a serem vistos, rs!

    Quanto à sua indagação, não sei dizer se há algo como a eugenia em ação atualmente, não que tenha reparado. Se bem que um absurdo desse não é difícil de se notar, hehe!

    Inté!

    • trnahas diz:

      Pois é, e eu finalmente consegui fazer andar minha listinha :) Vale mesmo, pode ver! Olha que o narrador fala o filme inteiro na frequência do sono e eu nem pesquei. Sério agora: a narrativa é deliberadamente monótona, faz parte da estratégia dele. E funciona muito bem!

      Também acho que não há nada com as proporções do movimento eugênico em vigor de fato. O que há são questões éticas sendo levantadas sobre a aplicação de algumas possibilidades técnicas já existentes e/ou bastante eminentes. E me parece muito desejável que continue sempre havendo o debate ético.

  • Ótima dica. Vi Arquitetura da Destruição há alguns anos e, pelo que vi do trabalho de Cohen e da sua breve resenha, Homo sapiens 1900 parece ser importante. A eugenia é uma questão antropológica muito séria, pois nos pega em aspectos positivos como a evolução humana e ao mesmo tempo em aspectos negativos como a xenofobia e o racismo.

    Vou procurar esse filme agora!

    • trnahas diz:

      Olá, Thiago,
      espero que goste do filme tanto quanto eu! Mas se vc já é experimentou Cohen em Arquitetura da Destruição, acho que vai gostar sim.
      Abração!

  • Carlos diz:

    Tati,

    Documentário fantástico! Assisti há muito tempo, quando do seu lançamento aqui no Brasil, e fiquei surpreso e estarrecido ao saber das práticas de eugenia empreendidas por países europeus e pelos EUA (os ditos “civilizados”), em pleno século XX.
    É um dos meus documentários prediletos, juntamente com “Arquitetura da Destruição”, também de Peter Cohen.

    Abração,

    Carlos

    • trnahas diz:

      Oi, Carlos!
      Pois é, no geral a gente sempre associa eugenia a Hitler, mas não foi bem assim… Também fiquei muito surpresa com algumas informações que aprendi no documentário!
      E já vi que temos gosto parecidos para documentários, precisamos trocar uma figurinhas para ampliar minha listinha de pendências :)
      Abração!

  • Baixar o Documentário – Homo Sapiens 1900 – http://t.co/6hRrK4qe

Deixe um comentário ao post

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

What’s this?

You are currently reading homo sapiens 1900 at ciência na mídia.

meta

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 62 outros seguidores

%d bloggers like this: