a polêmica em torno da vacina para a gripe suína

Agosto 31, 2009 § 44 Comentários

Estamos na reta final para produção e distribuição da vacina contra a gripe suína. Até que sua aplicação seja efetivada, os alarmistas de plantão têm tempo de sobra para espalhar suas teorias da conspiração e incitar o pânico sobre os “grandes riscos” inerentes à vacina.

Assim, achei bem interessante e oportuno o post que o neurologista Steven Novella publicou em seu blog NeuroLogica uns dias atrás (H1N1 vaccine and GBS) e resolvi dar sequência à série “ciência traduzida” deste blog (veja mais aqui) apresentando uma versão em português desse texto.

Aproveito a ocasião para divulgar também uma sequência de infográficos publicada no Estadão e que explica como se forma uma nova cepa do vírus da influenza e como o vírus infecta a célula humana. Está bem interessante, vale a pena conferir! Abaixo, segue a tradução do texto do Dr. Steven Novella:

A vacina para o H1N1 e a GBS

Como a maioria das pessoas já deve saber, estamos no meio de uma pandemia – a gripe suína ou H1N1. Trata-se de uma cepa do vírus Influenza A, que causa uma infecção respiratória severa. O vírus evolui rapidamente e novas cepas aparecem a cada ano, provocando a gripe sazonal que causa 30.000 mortes nos EUA e 500.000 ao longo do mundo. (O H e o N referem-se às duas proteínas principais usadas para classificar diferentes cepas do vírus – Há um resumo mais detalhado aqui.)

Devido ao fato de a pandemia em curso ser causada por uma cepa do H1N1, a mesma que causou a pandemia de 1918-1919 que matou milhões, as organizações de saúde pelo mundo estão compreensivelmente preocupadas e estão monitorando a pandemia cautelosamente. Há também esforços em curso para desenvolver uma vacina. Isso traz preocupação adicional por causa da pandemia de 1976 provocada pelo H1N1: a vacina dada para combater aquela cepa foi relacionada a casos da Síndrome de Guillain-Barré (GBS). Infelizmente, embora o risco provável da GBS seja muito menor do que o risco da gripe em si, esse risco inflou os ânimos dos espalhadores de pânico sobre vacina. Esse artigo de certa forma irresponsável do Daily Mail é um bom exemplo.

GBS

A GBS é uma desordem neurológica autoimune. É uma enfermidade pós infecciosa monofásica (processo de uma via que se torna pior e depois melhora). Em essência, uma infecção por um vírus ou bactéria deflagra uma resposta inflamatória secundária por parte do sistema imunitário contra as proteínas mielínicas. A [bainha de] mielina constitui uma camada em volta dos nervos – a inflamação inibe a condução nervosa, danifica a [bainha de] mielina e, quando severa, pode danificar a própria fibra nervosa abaixo dela. Isso resulta em fraqueza, entorpecimento e disfunção autonômica. A fraqueza, quando muito severa, pode inibir a respiração, resultando em necessidade de ventilação mecânica. [Do que se sabe] até agora, o maior risco da doença é a disfunção autonômica, que pode provocar uma queda severa na pressão sanguínea, dentre outros sintomas.

Se identificada no início e tratada adequadamente, a maioria dos pacientes com GBS são afetados por um período curto – dias a semanas – e se recuperam quase completamente. Porém, casos severos ou não tratados podem resultar em paralisia permanente e há uma taxa de mortalidade de 3 a 4%. (Embora eu tenha tratado muitos casos, eu nunca vi uma morte por GBS – nem mesmo próximo disso. Suspeito que esses casos resultem de uma demora importante para [início do] tratamento ou de tratamento inadequado).

A GBS pode ser deflagrada não apenas pela gripe ou outras infecções, mas também por vacinas usadas para prevenir infecções. Isso ocorre porque as vacinas são desenhadas para estimular o sistema imunitário, para provocar uma resposta imune – que é o que causa a GBS. O risco de adquirir GBS a partir da vacina antigripal é de 1 em 1 milhão. Esse é um dado bastante confiável, já que estamos usando a mesma tecnologia básica para produção de vacinas antigripais por décadas e temos estatísticas confiáveis sobre a GBS uma vez que a doença requer hospitalização. Alguns casos podem passar despercebidos se forem muito leves (provavelmente raros, mas também se um caso for tão leve ao ponto de passar despercebido, então quem se importa?) ou se forem mal diagnosticados (também provavelmente raros, já que é razoavelmente fácil eventualmente confirmar o diagnóstico, mesmo se for difícil identificar no início).

Destaque-se que a GBS não afeta o cérebro (como o Daily Mail incorretamente noticiou), mas apenas os nervos periféricos. Ocasionalmente a medula espinal pode também ser afetada, mas de maneira geral a GBS é uma doença periférica.

Vacina antigripal para o H1N1

À medida que nos preparamos para a vacina antigripal para o H1N1, há muita difusão de pânico pelos “antivacinistas”, os conspiracionistas e os críticos (geralmente competidores) da medicina baseada em ciência. A matéria do Daily Mail, infelizmente, joga esse jogo de disseminação do pânico ao mesmo tempo que omite qualquer resposta razoável de cientistas no artigo. A preocupação com a GBS foi levantada porque em 1976 a vacina para o H1N1 ou gripe suína deflagrou um surto de GBS e estima-se que cerca de 10 em cada milhão de vacinados apresentaram a GBS. Também ocorreu que a pandemia de 1976 acabou se mostrando muito leve.

A vacina antigripal usa a mesma tecnologia que vem sendo usada por décadas e, portanto, é bastante confiável e os riscos são razoavelmente bem conhecidos. A cada ano a vacina precisa ser ajustada para combater as possíveis cepas de Influenza A que serão proeminentes naquele ano. Então os riscos de uma vacina podem variar ligeiramente conforme novas cepas tornam-se os alvos, mas ao longo dos últimos 30 anos desde o episódio de 1976 o risco de GBS tem se mantido em torno de 1 em 1 milhão – muito menor que o risco da gripe em si.

Portanto, a acusação de que a vacina antigripal em desenvolvimento para o H1N1 não foi testada não é uma afirmação razoável ou precisa. A vacina foi extensivamente testada. Mas é verdade que as cepas-alvo serão novas. Alguns argumentam que a vacinação da população irá somar-se a um grande “experimento suíno”. Porém, essa é uma afirmação ingênua e incorreta. O fato é que qualquer intervenção médica e qualquer novo medicamento à venda estão na mesma situação. Mesmo que testemos extensivamente um novo medicamento em milhares de pacientes, este pode ser vendido para milhões. Podemos não saber os efeitos estatísticos em milhões de pessoas até que isto ocorra. Portanto, não há nada diferente [com o caso da] vacina para o H1N1 em relação a qualquer outra intervenção médica em massa.

Se houver alguma [diferença, será a favor, já que] nossa experiência é muito maior por termos décadas de experiência vacinando milhões de pessoas com vacinas muito similares.

Ainda assim, faz sentido monitorar novas intervenções – a fim de obter dados sobre o que acontece quando milhões são tratados. É aparentemente por esta razão que o serviço nacional de saúde inglês (British National Health Service) solicitou que os neurologistas reportem novos casos de GBS começando neste verão [inverno aqui no hemisfério sul]. Eles querem estabelecer uma linha de base da taxa de GBS usando esse sistema de relatos de forma que, se houver um pico de GBS após a vacinação para o H1N1, eles irão detectá-lo rapidamente e poderão fazer recomendações sobre continuar a vacinação ou abortar o processo. Isso faz sentido.

Mas o Daily Mail está usando essa medida de precaução para espalhar rumores alarmistas sobre a segurança da vacina. Isso é o mesmo que usar a presença de cintos de segurança nos carros para alardear sobre a segurança dos mesmos.

Conclusão

A vacina antigripal em desenvolvimento para o H1N1 é somente a vacina antigripal comum direcionada contra as proteínas do H1N1 para combater a cepa da pandemia em curso. Uma vez que a pandemia deve vir em ondas, e estamos entre elas exatamente agora, isso nos dá a oportunidade de criar uma vacina específica para a cepa pandêmica – em vez de “procurar adivinhar”, como fazemos a cada ano para a gripe sazonal. Temos uma grande quantidade de informação sobre a segurança dessa vacina, mas é sempre razoável monitorar a segurança indo além. Também temos bastante informação sobre a efetividade da vacina antigripal – ela é muito eficaz. A vacina em si é muito eficaz, mas a eficácia real a cada ano varia entre 60 e 80%, dependendo do quanto as cepas apropriadas foram ou não consideradas como alvo.

O risco de contrair GBS a partir da vacina antigripal tem estado em torno de 1 em 1 milhão – uma complicação muito rara. O risco não deve ser maior que esse no caso da vacina para o H1N1. Ainda não se sabe porque a vacina de 1976 levou a um aumento na taxa de GBS, mas isso não se repetiu nos últimos 30 anos. Talvez haja algo no H1N1 que aumente o risco de GBS e, por essa razão, monitorar [a taxa de] GBS quando a vacina for administrada é razoável. Até agora, em testes preliminares de milhares de indivíduos com a nova vacina não houve um aumento no risco de GBS, mas esse processo está em andamento.

Não há garantias absolutas em medicina – mas a melhor evidência que temos até o momento sugere fortemente que o risco da gripe pelo H1N1 é muito maior que o risco da vacina em si. E as medidas usuais de segurança e teste estão sendo tomadas – de fato, o monitoramento de segurança foi aumentado. A medicina é uma avaliação entre o risco e o benefício. Mas é fácil disseminar o pânico focando apenas no risco.

[aproveito o ensejo para pedir que, se houver algum interessado em contribuir para a elaboração da versão em português do blog NeuroLogica (sem compromisso de quantidade, periodicidade etc), que por favor entre em contato com o Dr. Steven Novella no email SNovella@theness.com]

Mais informações sobre a gripe suína:

=> gripe suína: uma nova fase? – apanhado geral sobre “as últimas” relacionadas à gripe suína;

=> Influenza A (H1N1) blog – iniciativa da Bireme (Biblioteca Virtual em Saúde) inaugurada com um post do Átila Iamarino sobre o design dos antivirais.

Atualização em 23/09/09: recomendo também a leitura do post More evidency for vaccine safety, também do Dr. Steven Novella no blog NeuroLogica.

About these ads

Tagged: , , , , , ,

§ 44 Responses to a polêmica em torno da vacina para a gripe suína

  • Roberta Lott diz:

    Gostei muito do artigo que, de certa forma, me tranquilizou. Sou dentista e tomei hoje, 11/03/2010, a vacina contra a Influenza H1N1 e, logo após receber a vacina, recebí um e-mail dizendo que a mesma traria a Síndrome de Guillain-Barré (GBS). Bem, gostaria de me manter informada. Afinal não tinha a intenção de trocar gato por lebre.

    • trnahas diz:

      Olá, Roberta!

      Que bom saber que o texto selecionado ajudou a tranquilizá-la. De fato recebemos muitos spams e mensagens alarmistas e é difícil saber o que há de verdade e o que há de exagero nisso tudo. Gostei especialmente desse texto do Dr. Novella, não apenas por ser uma fonte extremamente confiável, mas também por ter sido responsável o suficiente para apresentar os reais riscos relacionados à vacina. Então claro que há riscos, sendo um deles o de desenvolvimento da GBS. Mas ele é extemamente inferior ao risco de desenvolver a mesma enfermidade por conta da contaminação com o vírus. Isso reforça a importância da vacina!
      Obrigada pela sua visita ao blog e espero que volte mais vezes por aqui.
      Abração,
      Tatiana

  • Daniel diz:

    Oi Táti,

    Parabéns pelo post. Muito esclarecedor, como sempre. Enviei o link a uma amiga que me havia repassado um daqueles e-mails espalhadores de pânico que (pasme!) chegava a dizer que a vacina continha mercúrio e outras substâncias tóxicas, que o governo americano já havia encomendado milhões de caixões, tudo um plano maquiavélico para exterminar zilhões de pessoas ao redor do mundo, etc.

    Parabéns mais uma vez por este e tantos outros posts interessantes e, sobretudo, confiáveis.

    Beijos do

    Daniel

    • trnahas diz:

      Oi, Daniel,
      desculpe pela demora na aprovação do comentário – esses dias têm sido intensos :)
      Que bom que o texto foi útil para esclarecimentos! Esse post tem recebido muitas visitas ultimamente, o pessoal está confuso mesmo com a história da vacina e os maledetos spams que estão rolando… Aliás, esse da encomenda de caixões e cia é campeão, heim! Ainda não recebi esse, mas já-já deve chegar :)
      Beijão!

  • Tatiana diz:

    Parabéns, gostei muito do texto.
    Também tomei e comecei a ouvir estas histórias de que a vacina não era segura. Tomei há dois dias mas doeu bastante (sou um pouco fresca, confesso), mas fiquei com o braço dormente várias horas e meu marido também, e a vacina foi aplicada por enfermeiras diferentes. No mais, nada de anormal.
    Abraço

    • trnahas diz:

      Oi, Tatiana,
      Obrigada pela visita e pelo relato sobre a vacina.
      Eu também fiquei com o braço dormente quando tomei a vacina contra febre amarela um tempo atrás, isso pode mesmo acontecer sem grandes consequências.
      Abração!

  • joao victor diz:

    ola tenho 16 anos e mostrei ao meu pai um vidio que esplica os danos que a vacina pode causar pois tenho irmaos recem nascidos e fis isso para o fato de eles terem problemas contudo meu pai e um homem teimoso ele mesmo viu 5 videos que disiam o mesmo que eu,e duvido que ele tenha uma opinião diferente mas o fato e que ele nao gosta de aceitar o fato de eu saber mais de um asunto do que ele nao estou disendo que tenho certeza que o vacina traz males estou disendo que fasendo calculos e bem provavel essa teoria de a vacina causar mais males o fato e q a h1n1 nao e tao perigosa mas ja a vacina como diz neste mesmo site pode causar problemas em 1 de 1000000 multiplicando pelo numero de pesoas na terra o numero de mortos poderia ser alto que o proprio video que eu vi diz que o fato da vacina ser administrada e para diminuir a populaçao mundial agora cada um com suas ideias so estou disendo que com um tratamento normal para gripe comun pode-se combater a h1n1 entao o q e melhor vc ter 100 por cento de chance de viver com um tratamento simples ou ter uma chance em 1 milhao de morrer eu prefiro a primeira opçao

    • trnahas diz:

      Oi, João Victor.
      Não sei a qual vídeo você se refere, mas é preciso tomar muito cuidado com o tipo de coisa que a gente vê. Há muitos boatos e spams espalhados por aí a nos confundir. O fato, por exemplo, desse vídeo que você menciona dizer que a vacina tem o objetivo de diminuir a população mundial me faz desconfiar seriamente dele. Pense bem: quem seriam os interessados nisso? Os governos? Ok, mas de TODOS os países? E como eles fizeram para combinar esse complô entre si? E como será que convenceram todos os médicos e outros profissionais de saúde no mundo todo a participarem da farsa? Você não acha essa teoria da conspiração muito estranha?
      Sugiro a leitura de três ótimos textos para complementar suas inforações sobre a vacina:
      http://scienceblogs.com.br/rainha/2010/03/vacinacao_contra_a_gripe_h1n1.php
      http://scienceblogs.com.br/eccemedicus/2010/03/esclarecimentos_sobre_a_vacina.php
      http://scienceblogs.com.br/brontossauros/2010/03/o_esqualeno_nas_vacinas_da_gri.php
      Tudo de bom! Um abraço,
      Tatiana

      • Anónimo diz:

        O problema não é boatos, é a pura realidade, a vacina contém um alto teor de mercúrio, e quem for inteligente sabe muito bem do que o mercúrio é capaz de causar, sem falar de que a referida vacina contém outros componentes cancerígenos e sem contar com a quantidade de pessoas que já morrem pelo mundo a fora, e outro tantos que quase morreram (incluindo uma pessoa da minha família), mas maior parte dos casos não são divulgados… entendam como quiserem.

        • trnahas diz:

          Caro anônimo,
          você fala em fonte segura (na sua resposta ao comentário da Carolina), mas começa não se identificando e nem citando nenhuma tal fonte segura, diferentemente do que fiz no post, visando justamente estabelecer um diálogo fundamentado em fontes confiáveis e não em achismos catastrofistas.
          Apenas uma pergunta: se o objetivo da vacina é acabar com mais da metade da população mundial, como você coloca, por que então isso não aconteceu? Por que os milhões de pessoas vacinadas não morreram ainda? Eu, por exemplo, já me vacinei há um ano e sigo firme e forte aqui; aliás, talvez justamente por causa da vacina…
          Peço-lhe a gentileza de, ao deixar comentários tão assertivos como os dois que fez, que cite fonte adequadas, que trave um debate científico.
          Atenciosamente, Tatiana

  • liliana diz:

    Ola e obrigada pelo esclarecimento aqui encontrado.Tomei a vacina no dia 17 de marco sem nenhuma intercorrencia.Gostaria de saber se nos paises onde a vacina ja vem sendo aplicada, ha mais tempo, houve aumento de incidencia da sind de Guillain-Barre.

    • trnahas diz:

      Olá, Liliana,
      Obrigada pela visita e pelo depoimento no blog.
      Não sei essa informação que você pergunta sobre a incidência de GBS. Acredito que ainda não haja informação disponível, pois essas análises são feitas por “temporadas” da ocorrência do vírus e aplicação da vacina. De qualquer forma, vou pesquisar assim que arrumar um intervalo nos trabalhos. Se achar alguma informação interessante, publico por aqui e também envio para seu e-mail, ok?
      Um abraço,
      Tatiana

  • Aretha Stephanie diz:

    Foi muito bom ter lido esse texto, vou me vacinar amanhã e estou grávida, minha filha mais nova será vacinada também e meu irmão me disse desse tal e-meail onde os EUA compraram caixões e não-sei-mais-o-quê. Achei uma besteira tuda essa história de conspiração, afinal, se fossem exterminar as pessoas acredito que não começariam pelas grávidas e crianças menores de dois anos, justamente a próxima geração!
    De qualquer forma, obrigada, agora estou mais tranquila.

    • trnahas diz:

      Olá, Aretha,
      Que bom saber que o texto ajudou a tranquilizá-la!
      Muito obrigada por seu depoimento! Dá uma injeção de ânimo saber que alguns posts do blog de fato auxiliam na “saga antispams”.
      Boa sorte na vacinação amanhã e muita saúde pra você e sua família!
      Um abraço,
      Tatiana

    • Rafaela diz:

      Desculpa mas axo que vc esta enganada…

      Gravidas são os alvos principais… ja que querem externinar a população tem que começar pelas gravidas… assim será mais facil para eles. Pensa comigo : gravidas vao dar mais vidas ,entao se matarem todas as gravidas ira morrer 2 pessoas em 1 entendeu?
      sabado dia 10 morreu um rapaz no parana apos ter tomado a vacina:

      http://jornale.com.br/portal/parana/54-01-parana/2940-ministerio-investiga-morte-apos-vacina-contra-gripe-a.html

      Conheço pessoas que tomaram e deram febre, vomitos sentiram o braço dormente (isso e normal para algumas vacinas), hoje tem um amigo meu apos tomar a vacina ficou gripado esta sentindo tonteira dando febre e vomito.

      Agora vai de cada um… eu prefiro morrer de gripe do que morrer de efeitos colaterais da vacina. o governo esta dizendo que a gripe e perigosa e tudo mais… se fosse tao perigosa e contagiante era para todo mundo ter pegado…
      porque no ano passado tinha aquele tanto d gente com a gripe e agora nao tem tantas? eles estao quererndo algo com isso…tem algo muito forte atras disso.
      em sao paulo e no rio nao para de xegar containers… e ninguem pode xegar perto … eles isolaram o local, eles estao fazendo pontos para descarregar os containers… o exercito que esta tomandoc onta para ninguem se aproximar, no local nao pode passar carro caminhoes (nada)… e tudo escondido…. estao suspeitando de que e caixoes igual dos EUA e da Georgia…

      A vacina possui mercurio em sua formula… mercurio provoca cancêr e todos sabem que e uma substancia muito perigosa para saúde humana.. e agora estao querendo injetar na veia? vcs axam realmente que vai fazer bem?
      daqui uns 2 anos vcs vao ver uma quantidade absurda de pessoas com cancer… pode ser que agora nao vai dar algum efeito mais daqui 2, 3 anos que vao surgir as coisas… e sabem d uma coisa? ninguem vai poder processar os laboratorios que fabricam a vacina porque todos ja se protegeram..

      na televisão eles escolhem oque vai passar, eles conseguem fazer a cabeça dos “bobos”, mais na internet nao tem muitos sites paraacessar muita coisa para ver sobre esse assunto… pesquisem mais que irao axar…

      Bom ai esta minha opiniao.

      • trnahas diz:

        Olá, Rafaela,
        obrigada por sua visita e sua opinião. Gostaria que você me dissesse qual poderia ser o interesse dos governos em exterminar pessoas. Quem pagaria os importos afinal? Desculpe a sinceridade, mas é a ideia mais absurda que já ouvi. E, caso fosse verdade esse interesse dos governos, certamente há outros meios mais fáceis, rápidos e baratos de exterminar pessoas. Não há porque organizar uma campanha de vacinação para isso.
        Sobre o caso de morte que você menciona, como o próprio artigo diz, isso ainda está sendo investigado e não é certeza que tenha ocorrido por conta da vacina. As possíveis razões são muitas.
        Quanto ao monte de informações incorretas sobre mercúrio e outros adjuvantes da vacina que você menciona, sugiro que você olhe esse post mais atualizado, que dá indicações para esclarecimento sobre cada um desses pontos: http://ciencianamidia.wordpress.com/2010/03/21/a-vacina-contra-a-gripe-suina-e-segura/
        Como você mesma disse, temos a facilidade da internet para achar informações. Mas é preciso ter o conhecimento e o discernimento para identificar o que é informação e o que é desinformação. Cuidado com essas teorias da conspiração completamente sem sentido que andam circulando em spams. E caso queira seguir a ideia de que os malvadíssimos laboratórios e os malvadíssimos governos querem matar as pessoas, pense no seguinte: governos querem pessoas vivas pagando impostos e laboratórios querem pessoas vivas comprando seus produtos. Mortos não dão dinheiro pra eles. Se o argumento dos estudos científicos não servir, fique ao menos com esse.
        Um abraço,
        Tatiana

  • paulo sergio da silva diz:

    tenho um filho de 1,7meses minha esposa nao esta querendo que ele tome esta vacina sera que se ele nao tomar iremos ter algum problema futuro.paulo

    • trnahas diz:

      Olá, Paulo,
      eu não sou a pessoa mais adequada para responder à sua questão, pois não sou médica.
      O ideal é você consultar um médico ou ligar no plantão de atendimento do ministério da saúde para esclarecer essa e outras dúvidas. O problema com o H1N1 é que nem todos têm complicações se tiverem a gripe. Mas os que têm complicações, podem ter complicações sérias. Mas isso não temos como saber de antemão, então a melhor arma é a prevenção. Além disso, com um grande número de pessoas tomando a vacina e ficando imunizadas (protegidas) contra o vírus, este não tem mais como se reproduzir na população e, com o tempo, deixa de ser uma ameaça para todos. Essas são as duas principais razões para tomarmos a vacina.
      De qualquer forma, te aconselho a obter mais informações aqui: Disque saúde 0800 61 1997 ou diretamente no site do ministério da saúde – http://portal.saude.gov.br/portal/saude/profissional/visualizar_texto.cfm?idtxt=31267
      Um abraço, Tatiana

  • FABIANA diz:

    OLÁ TATIANE,

    SEI QUE O MEDO NÃO VEM DE DEUS, MAS QUANDO ENVOLVE NOSSOS FILHOS NÓS TREMEMOS NA BASE…CONFIO MUITO NUM DEUS Q NOS AMA E QUER O MELHOR PARA NÓS…PRECISO VACINAR MINHA BB DE APENAS 9 MESES E PREFIRO ACREDITAR Q ESSAS PESSOAS Q ESTUDARAM MEDICINA E FIZERAM UM JURAMENTO AO SE FORMAREM NÃO ESTEJAM AGORA SE ENVOLVENDO NUMA CONSPIRAÇÃO DIABÓLICA…ATÉ MESMO PORQUE NA PALAVRA DE DEUS DIZ Q O SALÁRIO DO PECADAO É A MORTE E SE ISSO ESTIVER REALMENTE ACONTECENDO ELES VERÃO A JUSTIÇA DE DEUS…ORO E ENTREGO MINHA FAMÍLIA NAS MÃOS DO SENHOR E IREMOS NOS VACINAR…

    • trnahas diz:

      Olá, Fabiana!
      Muito obrigada pela sua visita ao blog e por seu bonito depoimento.
      Não compartilhamos as mesmas crenças, mas vejo que ambas confiamos no conhecimento acumulado na área médica, no objetivo da vacina e na importância da prevenção, não só com relação a essa vacina específica, como também com relação às demais existentes.
      Um abraço e muita saúde para você e sua família!
      Tatiana

  • Andressa diz:

    Olá!
    Etava decidida a tomar a vacina amanhã quando resolvi pesquisar na internet fiquei horrorizada, já tinha ouvido falar dessa história que era para diminuir a população e achei até engraçado porque seria uma perda de tempo, mais fácil deixar o povo morrer da gripe, e em 1976 foram constatados 25 casos da GBS, então…para matar bastante gente acho que deve ter outros meios né…. AGORA, quando vi que na França nem os médicos estão tomando… que houve um acerto no contrato com as empresas que fabricaram a vacina para não serem responsabilizadas… fiquei um pouco receiosa…. mas também penso que se vc ler a bula de diversos medicamentos que nos são dados… que o paracetamol que tanto usamos é proibido nos EUA…. talvez seja só um alarde muito grande em torno de uma coisa nova….
    Mas eu realmente gostaria de saber se essa vacina é produzida muito diferente das outras que tomamos… porque eu vacinei meu bebe de 6 meses contra a meningite ( DOENÇA TAMBÉM MUITO SÉRIA|) e nem pensei em pesquisar nada sobre efeitos colaterais etc…

    • trnahas diz:

      Olá, Andressa,
      Que bom que você vacinou seu bebê contra meningite!
      É bom manter sempre em mente uma coisa: não há medicamentos sem efeitos colaterias e as vacinas também apresentam alguns riscos. Esses são sempre informados pelos médicos, bulas etc. O objetivo de tomá-los (e de desenvolvê-los) é que os riscos são MUITO menores do que contrair a doença em si. São as melhores armas que temos. Um exemplo é o que foi descrito no post acima.
      Cuidado com os e-mails alarmistas e as mentiras em forma de teoria de conspiração espalhadas por aí, especilamente na internet. Sugiro você dar uma olhada nesse excelente post do biólogo Roberto Takata, mostrando todos os equívocos de um dos e-mails mais absurdos sobre a gripe suína que tem circulado muito por aí, pois acho que isso pode ajudá-la em sua decisão: http://genereporter.blogspot.com/2010/03/mala-influenza-16.html
      Um abraço e muita saúde para você e seu bebê!
      Tatiana

  • carlos afonso diz:

    Obrigado pelas informações. Bem, o risco é pequeno, mas existe.
    Só que para gbs não há cura, salvo logo no início, quando o médico ainda vai dizer que é virose.
    Já a gripe suína passa, isto é, raramente mata.
    Logo, não há motivo para alguém saudável se vacinar.

    • trnahas diz:

      Olá, Carlos,
      obrigada por sua visita ao blog!
      Sim, há um risco sim, por pequeno que seja. E acho fundamental que o risco seja esclarecido para combater as bobagens que vêm sendo apresentadas como risco. O risco e é ínfimo. E sempre há riscos de efeitos adversos quando tomamos qualquer medicamento ou qualquer vacina. Isso não é diferente no caso dessa vacina. O que temos que pensar é que os riscos de termos alguma complicação grave são muito maiores com as doenças do que se tomarmos os medicamentos ou as vacinas, conforme aplicável. Essa, aliás, é a razão de desenvolvermos as vacinas e os medicamentos. Trocamos um risco muito maior por um risco muito menor. Isso é o que de melhor a medicina tem a nos oferecer, ao menos por enquanto. E é assim que temos salvo muitas vidas.
      Falando especificamente da gripe A H1N1 e da vacina com relação à GBS, como do Dr. Novella explica em seu texto, o risco de uma pessoa desenvolver a GBS por contrair essa gripe é muito maior do que o risco de desenvolver a GBS por tomar a vacina. Então faz sim sentido tomar a vacina. Além disso, ao tomar a vacina, você reduz os demais riscos inerentes à doença, como as compicações pulmonares que pode provocar.
      Outra vantagem importante considerada no programa de vacinação, é que uma população vacinada reduz muito a chance de proliferação do vírus, que acaba não tendo mais onde se reproduzir. Foi assim que já conseguimos erradicar a poliomielite no Brasil desde 1989 e a varíola a mais tempo ainda.
      Um abraço,
      Tatiana

  • trnahas diz:

    Escrevi um post mais recente fazendo uma compilação sobre informações diversas relacionadas à segurança dessa vacina: http://ciencianamidia.wordpress.com/2010/03/21/a-vacina-contra-a-gripe-suina-e-segura/

  • Lenise diz:

    Existem algumas contradiçoes em seu texto e nenhum comentario contra sua opiniao. Vacinas e medicamentos levam anos em testes. O primeiro caso de H1N1 surgiu proximo a um laboratorio Novartis e la se disseminou. As teorias sao muitas, e infelizmente nao ha como provar ou nao a veracidade de tantas opinioes circulando. Existem muito mais pessoas morrendo de dengue no pais do que de H1N1 a diferença e a dedicaçao da midia e dos orgaos de saude em disseminar este panico. Na escola do meu filho o simples fat do uso do gel e lavagem sistematica de mas dentre outras medidas simples reduziram como um todo as doenças contagiosas na escola.
    A propria OMS ja declarou que exagerou em declarar a pandemia e que ira reavaliar sua conduta em relaçao a considera a gripe uma pandemia.
    o que se percebe sao os ganhos financeiros altissimos de laboratorios, muitos deles com pessoas relacionadas a governança mundial na sua cadeia societaria. Outro fato relevante é que na bula das vacinas, os laboratrios ficam isentos de quaisquer responsabilidade juridica quanto a qualquer efeito adverso da vacina. Poste isso no seu blog para esclarecer de fato as pessoas e nao tente dourar a pílula. voce sabe que hoje muitos pesquisadores e medicos sao financiados por laboratorios, estes mesmos que aproveitando a onda de panico mundial aumentam seus milionarios lucros.
    No creo em brujas pero que hay hay.

    • trnahas diz:

      Olá, Lenise!
      Gostaria que apontasse as contradições que vê no post – o qual, por sinal, não é meu, eu traduzi apenas por considerá-lo bastante relevante e boa fornte de informação sobre o assunto.
      Também gostaria que citasse a fonte fidedigna dessa informação sobre a disseminação do vírus a partir de um laboratório da Novartis…
      Sem dúvida que os medicamentos e vacinas são considerados aprovados e recomendados para uso depois de anos de estudos, com várias fases de ensaios pre-clínicos (em animais não humanos) e clínicos. Esse é um dos principais argumentos em favor da confiabilidade dos mesmos.
      Sobre o fato de muitos pesquisadores e médicos serem fiananciados por laboratórios farmacêuticos, concordo com você que por vezes há desvios nisso, como em qualquer outra atividade humana. Mas não creio que essa seja a regra. E o fato de uma pesquisa ser financiada por algum laboratório não a torna, a priori, criminosa, concorda? Independentemente de como e por quem foram financiadas, é preciso aprovação dos comitês de ética locais e nacionais (no nosso caso, Conep e Anvisa, no caso dos EUA, o FDA etc), então as coisas não fluem a bel prazer das indústrias.
      Quanto ao fato do interesse no lucro, se resolvermos seguir essa linha de raciocínio, vamos então pensar que o remédio para a gripe é mais caro que as vacinas, então as indústrias farmacêuticas lucram mais com o remédio do que com a vacina, o que já desbanca esse argumento…
      Abraço,
      Tatiana

      • Lenise diz:

        Ola Tatiana,

        Boa noite.

        Avaliando a cadeia produtiva de um remedio e de uma vacina, como neste caso em particular. A vacina preparada da forma que foi feita, nao cabe descrever aqui o processo, mas ocorre em escala obviamente industrial e com a presença dos adjuvantes, muito comentados igualmente pelo planeta afora que permitem a ampliaçao da quantidade de doses a partir de um unico ovo de galinha fecundado, pois de outra forma jamais poderia ser fabricada de forma tao rapida. A questao aqui e que, sim, os interesses industriais estao acima dos interesses da humanidade e existem muitas provas disso ao longo da história em todas as áreas do conhecimento humano. O processo de fabricaçao barateou, nao apenas para o nobre designio de levar mais vacinas a populaçao mas sim vender no atacado em escala global.
        Remedios para virus nao existem para justificar seu argumento que lucraria-se mais com o “remedio”, creio que se refira ao Tamiflu, que deve ser usando em determinado estagio do contagio de outra forma é inócuo. o alvoroço criado a partir da elevaçao da contaminaçao ao nivel de Pandemia, contribuiu sim, para que as açoes das empresas que criaram as vacinas disparasse e que a corrida para a fabricaçao, baseada no candido argumento de salvar a humanidade da catástrofe para tanta urgencia.
        Os orgao mundiais de segurança da saúde estao em descredito a ponto de ja ter sido anunciado a revisao dos criterios para se decretar uma pandemia.
        Esta conduta é tendenciosa a medida que minimiza os vícios e incosistências de todo desenvolvimento desta pseudo pandemia desde março do ano passado ate os dias de hoje.
        contradições:
        Posso citar a maior delas, pois na teria espaço nem tempo para escrever tanto…na bula da vacina, incompreensivel para leigos, existe um comunicado simples e taxativo que os fabricantes estao isentos de quaisquer responsabilidade provenientes de algum efeito adverso que possa ter sido causado direta ou indiretamente pela vacinaçao. Tenho comigo o protocolo de vacinaçao difundido pela Anvisa que informa detalhadamente o protocolo para GBS e os outros efeitos adversos do procedimento que vao desde aplicaçao mal feita até morte súbita. Este comunicado de isençao de responsabilidade valida para processos em solo americano(sic).
        Bem, Tatiana, preciso que voce me diga os parametros que a fazem considerar fidedigna uma fonte de informaçao, pois estou em contato com amigos mexicanos para que mandem informaçoes mais aprofundadas sobre a localizaçao geografica da Novartis em relaçao ao primeiro foco observado de H1N1. isto somente é possivel em nivel local e sabemos muito bem o que a industria e capaz para esconder do mundo o seu lado B.
        Continuo com a opiniao que nao ha necessidade de se tomar uma vacina para uma cepa que ja teve seu pico no ano passado, tendo em vista que a “nova onda’ chegara com uma provavel mutaçao(segundo dados pessimistas) com acontece com as cepas de virus da gripe e uma nova vacina devera ser fabricada de acordo com a nova cepa. Portanto estamos perto de ter mais uma vacina obrigatoria no calendario de vacinaçao mundial, que sera modificada anualmente tal como a vacina de gripe sazonal.
        Me diga se isso nao se tornou um otimo negocio.
        Uma sugestao para que voce comente sobre o novo codex Alimentarium, voce viu que a Anvisa ja começou a dar o bote, desde ontem os alimentos nao tem, segundo a Anvisa obviamente, qualidades terapeuticas que doravante serao privilegio dos remedios fabricados pelos laboratorios. Ou seja, a sabedoria popular( o que esta no incosciente coletivo da humanidade e que as industrias farmaceuticas e alimenticias se aproveitam muito bem, pois elas mesmas correm para patentear algo que nao criaram e que faz parte da natureza) esta para ir por aguas abaixo. Note que a Nestle, a Loreal e a Sanofis Aventis fazem parte do mesmo grupo societario….como posso confiar em quem domina o que como, o que uso, o que preciso eventualmente(medicamento)? Sao muitas questoes a serem avaliadas nao é mesmo? mas é bom conversar com uma pessoa inteligente como você, que nao se contenta em receber uma informaçao sem antes passa-la por uma lupa e um separador de mitos e fatos. Boa noite e fique com Deus.Usando gel,lavando as mãos, nos alimentando de comidas nao industrializadas e tomando sol, nos prevenimos nao somente de H1N1 como de varias doenças contagiosas.

        • trnahas diz:

          Lenise,
          respondi seus dois últimos comentários uma única vez. Está logo abaixo do seu próximo comentário.
          Especificamente sobre esse aqui, assino embaixo dessa parte: “Usando gel,lavando as mãos, [evitando] comidas nao industrializadas e tomando sol, nos prevenimos nao somente de H1N1 como de varias doenças contagiosas.” – perfeito!

  • Andressa diz:

    Olá! Obrigada pela resposta! Eu tomei a vacina no dia 26 de março e estou super bem, não tive nenhuma reação além do braço dolorido. Não me deixei levar por e-mails e vídeos terrveis no yotube…. A única precaução que tive foi tomar primeiro antes de aplicá-la no meu bebê de 6 meses… não por medo porque o pediatra foi bem categorico que ele deveria tomar, que o neto dele iria tomar, etc..mas porque gostaria de entender os efeitos colaterais se caso eles surgissem e assim saberia o que poderia acontecer com ele.Vou vaciná-lo hoje! A minha única dúvida é que no posto que me vacinaram eles mandaram eu voltar daqui 30 dias para tomar a segunda dose… quando perguntei o porquê, a enfermeira respondeu: ” Você me faz cada pergunta? Não viu que os pacientes crônicos vão tomar duas doses?” Bom… diante de tanta grosseria, tomei minha dose porque tenho bronquite e resolvi me informar com outras fontes e não com uma pessoa desinformada… Vc pode me ajudar? Um Abraço

    • trnahas diz:

      Oi, Andressa!
      Até onde sei, uma única dose é eficaz. Apenas para crianças entre 6 meses e 2 anos é que são recomendadas duas meias doses. Quer dizer, não é que tomarão duas doses, mas uma dose repartida, sendo que a segunda meia dose é aplicada 30 dias após a primeira meia dose. Fonte: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/influenza_23_03_2010.pdf
      De qualquer forma, recomendo que você entre em contato com o serviço de esclarecimento do Ministério da Saúde para se informar melhor. O Disque Saúde é 0800 61 1997.
      Um abraço,
      Tatiana

  • Lenise diz:

    Vamos falar da bula.

    Uma informação na bula, dentre outras, que diz:

    ……”A segurança e eficácia da vacina H1N1 de 2009 não foi estabelecida em mulheres grávidas e crianças de idade inferior a 18 anos.”
    “A vacina não é recomendada a crianças com menos de 6 meses.”

    Em todas as a faixas etárias inferiores a 18 anos, a posologia é precedida pela frase ……”se a vacinação for considerada necessária”, uma frase de precaução por a vacina não ter sido testada e essa vacinação ser de responsabilidade do médico.

    Está escrito na bula! Qual é a confusão? Que idade tem um feto?

    A CDC diz no seu website que:
    “Mulheres grávidas e crianças devem ser vacinadas com uma vacina sem adjuvantes”.

    A CDC segue recomendações da OMS!

    A confusão é simples: Os EUA e Canada possuem 4 vacinas sem adjuvantes. A Europa possui uma vacina sem adjuvantes que é a Celvapan(vacina da elite, pergunte-me como!) e não está sendo comercializada, mas está sendo disponibilizada quando dizem que não foi testada. E o Brasil??? E o resto do mundo????Confuso né?

    Vocês lee as bulas dos medicamentos que tomam?

    Temos de aceitar um medicamento com confiança cega nos médicos, quando são os próprios médicos a dizer que em qualquer diagnóstico ou tratamento devemos pedir uma segunda opinião?
    Se devemos pedir sempre uma segunda opinião é porque os médicos não são perfeitos e erram, como é que se pode esperar que eles não errem ao dizer que a vacina é segura para grávidas, quando a bula da vacina diz o contrário?

    Mais da bula…

    …….”Não há dados de posologia para crianças e adolescentes. No entanto se a vacinação for considerada necessária, a experiência com vacinas similares sugerem que a dose de adulto seja apropriada.
    A dosagem deverá ter em consideração a quantidade de informação sobre as características da atual pandemia de gripe.
    Esta vacina não é recomendada a crianças com menos de 6 meses.”

    De acordo com coisas parecidas mas nada similares à pandemia H1N1 a dosagem de um adulto numa criança será, talvez, quem sabe apropriada??? No entanto não recomendam a vacina a menores de 6 meses. Um feto poderá ser considerado como menor de 6 meses, logo a vacina não deverá ser dada às grávidas entrando em conflito direto com o que a CDC/OMS diz! Em que é que ficamos?

    “A vacina é segura!”, afirma o pediatra É? E os testes clínicos onde estão? Será segura com base no relatório de segurança que irá sair em Dezembro de 2010? Ou será segura de acordo com as bulas que não dão garantias de segurança mas que contradizem a OMS através de CDC?

    Qual é a confusão? Em caso de dúvida devemos ou não injetar algo no nosso corpo? Qual é a origem das certezas de segurança da vacina por parte dos médicos, quando a documentação dos criadores está repleta de dúvidas?

    Agora, vamos deixar de pedir a quem vai contra o mantra …mostra-me provas, mostra-me as suas fontes e começarei eu a exigir a estes médicos provas e fontes, pois eu estou usando a documentação que eles possuem. Não a leram?

    As próprias indústrias farmacêuticas dizem que não fizeram os devidos testes e não recomendam as vacinas em certas faixas etárias. Temos sim é de apertar com médicos e cientistas que falam como se soubessem mais do que os criadores das vacinas.
    Se optarem pela vacina, exijam que o médico assuma as certezas de segurança que te dá, e assine um termo de responsabilidade. Se ele não assinar, acho que ficamos sabendo a sua verdadeira opinião!

    Fontes para pesquisar este comentário:

    Baxter- Summary of Product Characteristics), e informações editadas(tipo panfleto) para conhecimento do consumidor (Celvapan (Baxter) patient information leaflet.pdfs em http://www.mhra.gov.uk/home/idcplg?IdcService=GET_FILE..

    GSK-Summary of Product Characteristics), e panfleto para conhecimento do consumidor (Pandemrix (GSK) patient information leaflet).
    health.gsk.com/hcp/H1N1Vaccine/productOverview.htm –

    Leia igualmente http://www.whale.to/vaccine/sf.html

    NA DÚVIDA LEIA A BULA!

    • trnahas diz:

      Lenise,
      muito obrigada por sua excelente contribuição!
      Não há vacinas e medicamentos 100% seguros e ninguém diz que são 100% seguros. Nem os médicos, cientistas ou representantes de indústrias farmacêuticas. Isso seria a maior irresponsabilidade! Se você reler o post, ele justamente fala de um dos riscos da vacina, com a intenção de mostrar quais são as informações que temos sobre esse risco.
      A recomendação para a vaciana (e medicamentos, conforme aplicável) é que os riscos que apresentam são muito menores do que os riscos de se contrair a doença, além da vantagem da prevenção coletiva.
      Em medicina as coisas funcionam como uma espécie de balanço entre a relação risco-benefício. Não há certezas e respostas definitivas em ciência e em medicina, então devemos parar de procurar por elas. O que precisamos fazer é nos informar sobre os riscos e benefícios de cada intervenção, seja de prevenção, de tratamento ou cirúrgica.
      E como sabemos quais são os riscos? Com os resultados dos estudos clínicos que são feitos por anos em amostras da população. O que está aprovado para uso é aquilo que demonstrou segurança e eficácia suficentes para tal após longo período de estudo. Mas os estudos não param no momento da aprovação de um medicamento ou vacina. Eles continuam mesmo depois. Então, com o advento de novos dados, que incluem agora uma amostra bem maior da população, a posologia pode ser revista, ou mesmo a indicação. Pode até mesmo ocorrer, em alguns casos extremos, a proibição da comercialização da medicação. Até a “inocente” aspirina sofreu recentemente alteração em sua indicação.
      Resumindo, o que quero dizer é o seguinte: sim, há riscos em medicamentos e vacinas. Os riscos são muito menores do que os riscos da doença e por isso são recomendados. Os medicamentos e vacinas seguem eternamente em avaliação. É daí que vem nossa confiança na ciência e medicina: a detecção de problemas é reportada e a prescrição é revista, se aplicável, cada vez que novos dados surgem. As epidemias são monitoradas pelas organizações de saúde, os efeitos dos medicamentos e vacinas idem. E esse sistema é o melhor que conseguimos inventar até agora e tem funcionado muito bem e salvo muitas vidas e erradicado muitas doenças ao longo de anos.
      Então, você tem razão: na dúvida, leia a bula, converse com o seu médico, informe-se em boas fontes. Assim poderá saber os riscos, os benefícios, os novos dados e procurar manter-se o mais saudável possível. O mais saudável possível com relação à influenza A H1N1, de acordo com o amplo conjunto de informações que temos até agora, inclui a vacinação dos chamados grupos de risco.
      Sobre a questão das vacinas com adjuvantes e vacina sem adjuvantes, recomendo esses dois posts, escritos por um médico muito sério:
      http://scienceblogs.com.br/eccemedicus/2010/03/esclarecimentos_sobre_a_vacina.php
      http://scienceblogs.com.br/eccemedicus/2010/03/e_tome_vacina.php
      Mais ainda, há uma nota do Ministério da Saúde informando qual a recomendação para os diversos grupos prioritários (gestantes, por exemplo, devme tomar a vacina sem o adjuvante) e explicando os diferentes tipos de vacina existentes: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/nota_esclarece_vacinacao_12_03_10.pdf
      Um abraço,
      Tatiana

  • tomei a vacina nao dueu nada e ainda menti para tomar por que tenho 43 anos queria tomar logo por que se pegar esta greipe suina voce esta morto nestes hospitais do brasil eu aconcelho vale apena correr o risco eu acho segura mais e como a garota falou ai e melhor ter 1000000000000 de viver por que pegar e molinho por ai e morre rapido em e so voce parar em um upa do rio de janeiro voce vai ver imajina nestes hospitais da vida ai em todo brasil toma a vacia cambada nao doi nao da nen tempo de chorar ougritar quando a infermeira aplica

  • Fatima diz:

    Por que o governo excluiu da campanha crianças/adolescentes de 2 a 18 anos? Fica em nossas mãos (pais) decidir se essa faixa etária se vacina ou não?

    • trnahas diz:

      Olá, Fátima,
      a campanha de vacinação está sendo dirigida aos grupos de risco específico para esse vírus. Por isso a exclusão dessa faixa etária da campanha, bem como daqueles entre 40 e 60 anos. Mas em ambos os casos isso vale desde que não tenha outras enfermidades que caracterizem o risco: doenças respiratórias (ex.: asma), obesidade etc.
      Um abraço,
      Tatiana

  • julio cesar nogueira diz:

    e quanto as vacinas serem produzidas em celulas canceriginas,o virus guardarem essa memoria e induzir doença!

  • rodrigo diz:

    Minha esposa passou oito dias na uti após começar a perder força e cordenação das pernas depois de tomar a vacina h1n1 internada no quarto começou a fisio terapia que agora teremos que fazer por um bom tempo tenho bastante a relatar em primeiro lugar o governo deveria nos esclarecer por menor que seja a possibilidade de reações adversas para que tenhamos entendimento e assim usar nosso livre arbitrio em decidir. somos os dois autonomos e assim fomos duplamente lesados tenho muito a relatar e documentos para provar pois eu que fiz uma correria que deveria ser feita pela administração do hospital. para alertar a sociedade a ser mais esclarecida. pelo e-mail rodrigocosta10@bol.com.br falando em saúde publica tambem podemos concluir que outros casos poden ter ocorrido e até mesmo óbitos sem o correto diagnóstico no primeiro hospital que fomos mesmo ela sem caminhar foi mandada para casa que era hérnia de disco se não fosse por insistencia minha talvez teriamos outro fim.

  • carolina diz:

    essa vacina foi feita pelo anticristo

  • Osmar diz:

    Estava procurando algum texto que tratasse da Síndrome de Guillain-Barre e a vacina antigripal.
    Cheguei a conclusão que existe uma ligação da vacina com essa síndrome.
    Não que a vacina cause essa doença, mas quem possui a síndrome corre o risco sem ter o conhecimento devido.
    Anucia-se que as pessoas que tem a alergia a ovos não podem tomá-la e não se avisa o mesmo a quem possui A GBS.
    Afirmo isso porque meu pai chegou a óbito devido a GBS e onde ele se hopitalizou ficava a uma distancia de quatrocentos quilômetros da capital, onde teria um tratamento adequado.
    Antes de viajar, ele tomou a vacina contra a gripe. Isto ocorreu há dois anos.
    Embora seja dificil de ser diagnosticado a GBS, caberia ao governo uma ampla informação sobre o assunto.
    A recuperação não seria tão simples assim, principalmente em um país como o nosso onde os hospitais não são tão preparados e a renda não é suficiente para ao menos um dia de internação em um hospital privado.

    • trnahas diz:

      Olá, Osmar.
      Obrigada pela visita ao blog e por seu depoimento!
      Sinto muito pelo seu pai. De fato, ainda há MUITO o qu emelhorar no nosso sistema de saúde para que o atendimento seja de fato igualitário e eficiente. É tristíssimo saber que pessoas aind amorrem por doenças que podem ser facilmente tratadas se bem diagnosticadas. Bem como é péssimo saber que ainda temos muitos casos de óbito até mesmo por doenças relacionadas à falta de saneamento básico!
      Um abraço,
      Tatiana

Deixe um comentário ao post

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

What’s this?

You are currently reading a polêmica em torno da vacina para a gripe suína at ciência na mídia.

meta

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 71 outros seguidores

%d bloggers like this: